Aprenda a aceitar as mudanças na sua vida

Categoria dos serviços da psicóloga: serviços variados de psicologia
Aprenda a aceitar as mudanças na sua vida

Lidar com mudanças nem sempre é fácil. Para quem está acostumado com as coisas de uma determinada forma, qualquer alteração no curso da vida pode ser estressante e desconfortável. Não importa se a mudança é pequena ou grande, motivada ou involuntária. Algumas pessoas são muito apegadas à rotina já estabelecida e sofrem quando algo sai do curso. Por exemplo, tentar enxergar o lado positivo da mudança parece algo difícil pra você? Abrir-se ao novo, com a cara e a coragem, soa como loucura? Buscar tratamento com um psicólogo nunca passou pela sua cabeça? Se você pensa dessa maneira, mas tem interesse em mudar essas questões dentro de você, esse texto vai certamente te interessar.

Aceitando as mudanças

O primeiro passo para aceitar as mudanças é entender que a vida não é sempre estável e que mudar, seja o que for ou quando for, é inevitável. Por isso, ajustar o pensamento é essencial para que a ansiedade e a preocupação não tomem conta. A seguir, listamos algumas atitudes que podem te ajudar a deixar as transições da vida um pouco mais leves:

Está procurando por psicóloga em São Paulo para questões variadas sobre psicologia? Então conheça as psicólogas no nosso consultório de psicologia, confira o valor da consulta e agende uma consulta diretamente pelo site.

1 – Analise a situação como um todo

Tente analisar todos os lados da mudança pela qual você está passando. Reconhecer os pontos positivos e negativos da transformação é fundamental para você encontrar a melhor maneira de enfrentar a situação. Às vezes, aquele que você considera o pior dos cenários pode não ser assim tão ruim quanto parecia.

2 – Descubra o que você pode controlar

Muitas vezes, o medo de mudar é causado pela sensação da perda de controle da situação. A mudança pode até nos deixar vulneráveis e receosos, mas entender o seu papel nessa transformação e identificar o quanto dela você pode controlar, certamente são atitudes que te ajudarão a colocar tudo em perspectiva.

3 – Dê uma chance ao novo

Nenhuma mudança é 100% negativa. Sempre há um lado bom, por mais que seja difícil identificá-lo em um primeiro momento. Imagine que você foi realocado a uma outra cidade por motivos profissionais, por exemplo. De início, a ideia de recomeçar a vida em um ambiente completamente novo pode parecer assustadora, mas também é uma forma de permitir que novas pessoas, com visões diferentes de mundo, façam parte do seu dia a dia.

4 – Aceite as transformações

Algumas mudanças estão fora do nosso controle e não nos resta muito o que fazer, a não ser aceitá-las. É o que acontece quando perdemos algum ente querido, por exemplo. As mudanças que não queremos estão além do nosso domínio e aceitar que esta é a nova configuração da nossa vida é um passo importante para conseguir manter a calma e evitar crises de estresse, ansiedade ou depressão. A vida sempre continua.

5 – Busque ajuda

As mudanças vêm em tamanho, proporção e intensidade diferentes. Em alguns momentos, quando tudo parece acontecer ao mesmo tempo e você pensa que nada mais será como antes, é normal que nos sintamos incomodados, tensos, ansiosos ou nervosos. Nessa hora, para te auxiliar a fazer uma transição mais tranquila, é importante procurar ajuda. De início, conversar com amigos e familiares próximos, que tentarão fazer você ver a situação de outra forma. Mas nem sempre apenas a conversa vai surtir o efeito desejado. Uma das maneiras mais eficientes de colocar tudo em perspectiva e aprender a lidar com a situação é procurar a ajuda de um psicólogo capacitado, que irá trazer uma visão profissional ampla do problema e vai fazer com que você encontre o suporte emocional de que precisa dentro de si mesmo. Pedir ajuda é essencial para que a situação seja encarada de forma mais leve e a mudança não cause um impacto negativo no futuro.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.