O que emagrecimento tem a ver com psicoterapia?

Já que emagrecer significa perder gordura do corpo através de alimentação e exercícios, como uma psicoterapia pode contribuir para esse resultado?

Por mais que este assunto pareça apenas de cunho físico, eu quero te fazer uma pergunta: o que te impede de comer os alimentos saudáveis e fazer exercícios de forma equilibrada? Por trás de um motivo, podemos descobrir emoções que impedem você a chegar no seu resultado.

A própria dificuldade de se controlar para comer mais saudável e de forma equilibrada pode esconder uma emoção não resolvida, seja ela ansiedade, tristeza, raiva, entre outros sentimentos que são necessários darmos a devida atenção dentro da psicoterapia.

É muito comum, hoje em dia, as pessoas comerem porque estão tristes, nervosas, ansiosas, com medo, etc. O simples gosto que o alimento traz é, muitas vezes, o suficiente para ficarmos bem, pelo menos naquele determinado momento. Como a última frase diz, pelo menos naquele determinado momento, que significa que o prazer que a comida gera é momentâneo. Como este prazer não resolve o problema que causou tal sentimento, esse comportamento sempre se repetirá, tornando-se um hábito e dificultando de alcançar as metas de uma reeducação alimentar.

Importante saber…

Vale ressaltar que na maioria das vezes é difícil fazer este link do que aconteceu que gerou um sentimento, o qual me deu “fome” e a psicoterapia contribui muito para fazer tal link. Eu coloco fome entre aspas, pois quando comemos para nos sentirmos melhor, não estamos comendo para nos alimentarmos e sim para aplacarmos angústias não trabalhadas.

Diferença entre fome e vontade de comer:

Fome

  • Causa desconforto físico devido a sensação de estômago vazio;
  • Aumenta aos poucos;
  • Acontece após 3 horas da última refeição;
  • Não seleciona um alimento específico;
  • Não passa com o tempo;
  • Não há a necessidade de comer muito para se sentir satisfeito.

Vontade de comer

  • Não causa desconforto físico e sim emocional;
  • Aparece de repente;
  • Pode acontecer a qualquer momento depois de uma situação estressante;
  • Existe a vontade de comer algo específico;
  • Caso você se distraia pode passar a vontade;
  • A quantidade de comida é grande, demorando para se sentir satisfeito.

Conversar com um psicólogo poderá ajudá-lo (a) a interpretar a maneira como você enxerga a comida de maneira mais saudável e equilibrada.

Autora: Leticia Marques (Psicóloga CRP 06/114273)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.