Terapia para Adolescentes

Adolescentes: lidando com responsabilidades

Terapia para Adolescentes

A adolescência é uma fase delicada, de transição e novas descobertas. Uma dessas descobertas é a descoberta da responsabilidade. É o momento em que o (a) adolescente passa a pensar mais em entrar no mercado de trabalho, começa a fazer seus próprios planos, e começa a querer suas próprias coisas, inclusive, a tal da independência. Mas, poucos pensam que, junto com a independência, uma série de responsabilidades está também na bagagem.

O sonho de ter o nome liberado para ter o primeiro cartão de crédito é, simplesmente, magnífico. Quem não quer ter um cartão de crédito com seu nome, e sair às compras? É realmente uma sensação prazerosa e de muito orgulho para si mesmo, pois é o início de um caminho de conquistas. Contudo, estar ciente do que vem junto com isso é – de verdade – ainda mais importante do que ter um cartão de crédito com o próprio nome anexado!

Ser realista

É fato que nos deslumbramos com a possibilidade de comprar nossas próprias coisas, sem ter que pedir dinheiro para o pai ou para a mãe. Mas, assim como foi utilizado aquele cartão para comprar aquele sapato ou aquela roupa dos sonhos, a fatura dele chegará ao final do mês e aí entra a responsabilidade de ter que pagá-la. Quando um indivíduo entra no mercado de trabalho, infelizmente, não recebe um manual de instruções sobre como lidar com o próprio dinheiro – o que, em partes, é uma pena.

Portanto, ter cautela com os gastos é muito importante e não custa pedir o auxílio dos pais para conseguir controlar isso.

Encarando as responsabilidades

Não apenas pela questão financeira, mas as responsabilidades tendem sempre a aumentar. Com os estudos: que precisa ser sempre prioridade; quando se inicia no mercado de trabalho: a importância de levar isso a sério. Por mais que não seja o emprego dos sonhos, dar o melhor de si em tudo que for demandado, encarar com seriedade e… Responsabilidade.

“Nossa, mas que chatice”: não, não é chato.

Ler um texto como esse até pode parecer que, a partir da adolescência, as coisas tendem a ficar chatas. Mas não é assim. Embora as coisas passem a ter muito mais significado e exigirem, em muitos momentos, uma postura séria, tudo isso vem acompanhado de um retorno muito bom.

Esse retorno está em conquistar as próprias coisas, e ver a importância de aprender àquilo que as pessoas mais experientes têm a ensinar. Além do mais, chega um momento em que é possível olhar para trás e ver o quanto foi importante ouvir alguns ‘nãos’, para ser, cada vez mais, uma pessoa melhor. E um adulto incrivelmente satisfeito com a própria vida.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Autoestima

    Autoestima
    Muito se fala da importância de uma autestima elevada, mas o que é autoestima de fato? Acesse, saiba o que é, como aumenta-la e tire suas dúvidas
  • Insatisfação no Trabalho

    Insatisfação no Trabalho
    Está se sentindo esquecido, ou até diminuido em relação aos outros colegas? A insatisfação no trabalho é normal hoje em dia. Confira o que diz a psicóloga
  • Qualidade de Vida no Trabalho

    Qualidade de vida no trabalho
    Para muitos estas palavras parecem ser inconciliáveis, pois vivem uma tortura no seu dia-a-dia. Mas não é assim que deveria ser. Acesse e saiba como.

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.