Como é a postura do psicólogo na terapia de casal?

Categoria dos serviços da psicóloga: terapia de casal, relacionamento conjugal, relacionamentos, casamento, divórcio
Postura do psicólogo na terapia de casal

Uma das principais dúvidas de um casal quando busca o auxílio de um psicólogo é sobre qual será a postura desse profissional. O papel do profissional na terapia de casal é funcionar como um mediador, já que duas pessoas, quando em conflito, perdem a clareza e a capacidade de dialogarem, de ouvirem, de ponderarem e refletirem sobre a situação que estão vivendo. Procure com cuidado uma clínica ou o consultório de um psicólogo, peça referências e confie. Você e seu parceiro, certamente, serão bem atendidos.

O terapeuta vai atuar no sentido de ajudar o casal a encontrar a melhor solução para os problemas que surgiram na relação e estão atrapalhando o convívio dos dois ou frustrando certas expectativas. Ele vai incentivar os dois a pensarem e a discutirem os fatos, as atitudes e as situações que estão trazendo angustia e insatisfação de ambos.

Está procurando por psicóloga em São Paulo para questões de relacionamentos ou terapia de casal? Então conheça as psicólogas no nosso consultório de psicologia, confira o valor da consulta e agende uma consulta diretamente pelo site.

O psicólogo facilita a comunicação entre o casal

Durante a terapia, o profissional trabalha para facilitar a comunicação e interferir nos momentos mais difíceis, quando os ânimos podem se exaltar um pouco e as mágoas e outros sentimentos negativos vêm à tona. Ele atua ainda, guiando o casal a se conhecer melhor, suas características, mecanismos de defesa e comportamentos, buscando trazer para os encontros a raiz das dificuldades que apareceram na relação.

Outros assuntos que podem aparecer durante a terapia de casal são sobre o contexto atual da vida em comum, experiências anteriores ao conflito, relações afetivas e sociais de ambos. O psicólogo, então, orienta sobre como agir no momento em que emoções diferentes afloram, reações inesperadas acontecem e vivências conjugais são colocadas à prova.

É assim que o terapeuta vai reunindo informações que podem ser úteis para ajudar o casal a entender melhor o que está passando. É uma figura neutra, que não toma partido, somente dá dicas de como lidar com expectativas, fantasias mal resolvidas, projeções para o futuro e falsas visões de um casamento perfeito.

A personalidade de cada um, seus temperamentos e atitudes diante de diversas circunstâncias do dia a dia e também as mais complexas não são julgadas pelo psicólogo. Não é esse o objetivo dele. Ele apenas vai mediar, como já dissemos, os possíveis transtornos e desentendimentos que foram ganhando tamanha proporção que o casal não consegue mais esclarecer sozinho.

Equilíbrio entre as diferenças

Com isso, após algumas sessões, os conflitos principais vão se dissolvendo, o casal começa a superar com mais facilidade e tranquilidade a realidade e o desgaste causado por uma série de razões tende a diminuir de forma que juntos, consigam chegar a um acordo do que farão dali pra frente.

Como em outras terapias, não cabe ao psicólogo tomar decisão alguma, muito menos quando está tratando de uma relação entre cônjuges. Ele vai, sim, ajudar os dois a identificarem, novamente – porque em algum momento da relação eles existiram -, seus objetivos comuns. Vai negociar e equilibrar as diferenças individuais, mostrar caminhos para que o casal reencontre razões para se entender e fortalecer compromissos.

Na terapia, o casal passa a compreender melhor as necessidades do outro, aprende que a reconciliação é importante para que possa tomar a melhor decisão para suas vidas.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.