Dificuldade de concentração

Categoria dos serviços da psicóloga: ansiedade
Dificuldade de concentração

Entenda como um psicólogo pode ajudar

Você tem milhões de coisas para fazer, mas a concentração não vem, o tempo passa e ansiedade e dispersão ficam cada vez maiores. Já passou por isso? A dificuldade de se concentrar nas tarefas cotidianas e a frustração por não conseguir completá-las incomodam desde crianças até adultos. Quem sofre com o problema sabe que focar em uma simples tarefa pode exigir um esforço descomunal.

Para aliviar os sintomas, você pode cuidar da rotina, mas conhecer a origem do problema é essencial para controlar a mente nesses momentos de desatenção. As causas variam entre estresse, tensão, depressão, fadiga e podem ser também originárias da infância. Abaixo, você vai ver algumas razões para a dificuldade de concentração.

Falta de concentração desde criança

Quando a dificuldade é observada há algum tempo em crianças, geralmente a causa é um distúrbio chamado de TDAH. Como ele não inicia na vida adulta, o quadro se apresenta desde a infância e se é detectado em adultos, provavelmente não foi diagnosticado antes. Um bom psicólogo irá avaliar a história da infância, adolescência e complicações na vida adulta para descobrir se a causa é o transtorno ou tem outra razão.

Está procurando por psicóloga em São Paulo para questões de ansiedade? Então conheça as psicólogas no nosso consultório de psicologia, confira o valor da consulta e agende uma consulta diretamente pelo site.

Problemas pessoais e emocionais

Emoção e concentração são irmãs e por isso se algo vai mal na vida pessoal e/ou profissional, fica difícil prestar atenção em qualquer coisa. Separações, desemprego e a morte de entes queridos acabam sendo as grandes causas da dispersão temporária nos adultos. Esse tipo de desatenção pode ser tratado com a ajuda de um psicólogo, e assim que a “dor” vai embora, a falta de foco também desaparece.

Ansiedade

Pessoas muito ansiosas costumam sofrer com a falta de concentração. Da ansiedade vem o estresse, que acaba tirando a atenção do que realmente importa e criando problemas imaginários maiores do que são. A dica é fazer exercício físico, relaxar, ouvir uma música, meditar e assim por diante.

Déficit de atenção

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é o vilão da concentração. Esse transtorno pode causar prejuízos na vida afetiva, na escola e no trabalho se não for tratado. Para se ter uma ideia, entre 3 e 6% das crianças em fase escolar são diagnosticadas com este transtorno e, desses, 30 a 50% persistem até a idade adulta, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O sintoma é a dificuldade de se concentrar por muito tempo diante de algo, mas nem toda falta de concentração é resultado do TDAH, já que este é produto de fatores genéticos e externos.

Se tratado, o TDAH é pode ser revertido de diversas maneiras. Para achar a mais indicada, o profissional levará em conta o transtorno comportamental, o estado emocional e psicológico da pessoa e o ambiente em que vive. Um dos tratamentos mais eficazes é o TCC — Terapia Cognitivo Comportamental. Ela ajuda a buscar maneiras de redirecionar a atenção, reconstruir crenças, e de se sentir novamente capaz de realizar tarefas e até mesmo de ser sociável com outras pessoas. Como? Com estratégias de resolução de problemas, controle de tempo, de raiva e de agressividade.

Como trabalhar esta dificuldade?

Como mencionamos, nem toda dificuldade de concentração é originária do TDAH. No entanto, há algumas dicas que servem para os dois casos e que podem ajudar bastante na hora de realizar uma tarefa.

  • Reorganize tarefas e rotinas para não ficar sobrecarregado e conseguir manter o foco;
  • Reveja mágoas e traumas;
  • Tire de perto tudo o que pode te distrair (barulho, celular, televisão);
  • Mantenha hábitos saudáveis e uma alimentação equilibrada;
  • Procure um profissional psicólogo, para receber as orientações corretas e lhe ajudar no processo.
Quem leu esse texto também se interessou por:

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana F. Brotto(Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.