Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Amor Patológico – Sintomas e Tratamento

Amor Patológico: Quando o amor vira doença?

Amor Patológico

Todos nós precisamos de amor ao longo da vida, mas nem sempre o relacionamento amoroso é fonte de felicidade e prazer.

Na verdade, pode vir a ser a fonte de desprazer e trazer consigo muito mais angústias e temores.

Vale ressaltar, que, de acordo com psicólogos, o amor patológico é voltado para o relacionamento amoroso onde o indivíduo pode ter estabelecido, sob a perspectiva da psicologia, um vínculo patológico com o parceiro.

O que é Amor Patológico?

O amor patológico é o comportamento excessivo de prestar cuidados e atenção ao parceiro, de modo que o indivíduo abandona atividades e interesses anteriormente valorizados.

Guia Completo de Como Selecionar seu Psicólogo

Se você é daqueles que gosta de entender tudo nos mínimos detalhes, então esse guia é para você! No guia completo você vai conhecer todo o processo desde onde procurar e selecionar um psicólogo, como é a primeira consulta, como se preparar para a terapia, como é o processo terapêutico e até como avaliar os resultados.

COMO SELECIONAR O SEU PSICÓLOGO

O indivíduo passa a viver exclusivamente para o objeto de afeto, tendo condutas/comportamentos sufocantes com a esperança de receber de volta todo o carinho e atenção doados.

Portanto, ao perceberem que dão mais do que recebem, ficam tristes e sofrem. Este tipo de comportamento, quando intenso e feito de forma repetida e com pouco ou nenhum controle, acarreta prejuízos na vida pessoal, profissional, social e o convívio com familiares.

O amor patológico pode ocorrer sozinho, “puro”, ou juntamente com quadros depressivos, ansiosos e de personalidade dependente.

Existem alguns sintomas e critérios diagnósticos que ajudam na identificação do transtorno, quais sejam:

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Vânia






Não quero informar nome ou e-mail





  • Abstinência: sinais e sintomas que a pessoa sente quando está longe emocional e fisicamente do parceiro ou ainda corre risco de abandono. Tais como taquicardia, tensão muscular, insônia, sudorese etc;
  • Sensação de que está cuidando do parceiro em quantidade e intensidade maior do que inicialmente pretendia;
  • Fracasso nas tentativas de reduzir ou parar prestar a atenção ao parceiro;

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

  • Ciume excessivo, a ponto de despender um grande gasto de energia, empenho pessoal e tempo, focando no controle das atividades do parceiro;
  • Abandono de objetivos, atividades, realizações pessoais e interesses, vivendo em função da vida do parceiro;
  • Dado todo o prejuízo na qualidade de vida decorrentes deste comportamento, o indivíduo não consegue mudar sua conduta.

Como Tratar Amor Patológico

Os Psicólogos

Conheça os psicólogos do nosso consultório, área de atuação, abordagens e especializações.

EQUIPE DE PSICÓLOGOS

A psicoterapia é indicada para o desenvolvimento de habilidades mais saudáveis na maneira de amar, assim como são trabalhados os sentimentos de raiva e tristeza, entre outros que possam coexistir.

Tanto a terapia individual quanto a terapia de casal são indicados. Lembrando que quem está envolvido num relacionamento não-saudável também precisa de ajuda. Portanto, busque a ajuda de um psicólogo.

*Lembrando que o fechamento do diagnóstico deve ser feito somente por um profissional habilitado.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Estou sofrendo por amor, o que fazer?

    Sofrendo por amor
    Quem nunca teve seu coração partido e sofreu por amor ? Deve haver um esforço para sair do sofrimento e retomar a vida normal.
  • Terapia de casal para namorados

    Terapia de casal para namorados
    Terapia de casal para namorados é mais comum do que se imagina. Namorados costumam viver conflitos, dilemas, ciúmes e incertezas e a terapia de casal pode ajudar.
  • Como superar a separação

    Superar a Separação
    Superar a separação geralmente não é fácil. Lidar com a ruptura muitas vezes pode ser mais fácil com o auxílio de psicólogo por meio de psicoterapia.

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana Filla Brotto

CRP 06/106524 – 6ª Região

FORMAÇÃO

Psicóloga formada em 2008 pela PUC-PR, com pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *