Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como conviver com uma pessoa controladora

Categoria dos serviços da psicóloga: serviços variados de psicologia

Conheça as características de uma pessoa controladora e aprenda a lidar com ela.

Conviver com uma pessoa controladora

Você já deve ter se deparado com pessoas que tem demasiada necessidade de controle e desejo de poder. O desejo de controle em excesso pode não apenas acarretar problemas com as demais pessoas como trazer prejuízos para a vida do indivíduo.

Os psicólogos caracterizam essa compulsão excessiva pelo controle de de desvio de comportamento social.

O controle excessivo exercido por parte de uma pessoa controladora é um dos maiores causadores de aflição nas relações pessoais, nos casais, nas famílias e nas amizades.

Ao se deparar com uma pessoa com as características semelhantes, saiba como lidar com ela sem romper subitamente a amizade ou estima.

Identificando uma pessoa controladora

Pessoas controladoras são fáceis de identificar. Elas necessitam de outras para agir desta forma, para que seu domínio sobre elas faça algum sentido.

Para a psicologia, entender o mecanismo mental de uma pessoa controladora é fundamental afim de estabelecer um diagnóstico preciso.

Em geral, a pessoa controladora tende a ser emocionalmente mais agressiva e empoderada do que as demais. Vejamos alguns aspectos mais visíveis de uma pessoa controladora:

Impulsividade

Para as pessoas que costumam ser mais impulsivas, parece ser natural tomar decisões, sem se preocupar mesmo que isso provoque danos a outras pessoas.

Bullying

Valor Consulta Psicóloga Karla






Não quero informar nome ou e-mail





Da impulsividade pode surgir os comportamentos de fustigar e controlar os outros através de bullying psicológico.

Estas ações podem causar na vítima problemas de perseguição, manipulação, intimidação, entre outros. As ameaças são os instrumentos mais usadas pela pessoa manipuladora.

Autoritarismo

O que leva a pessoa controladora a ter uma tendência autoritária no sentido de controlar tudo e todos é a falta de sensibilidade perante as demais.

Ela passa a atuar atropelando sentimentos por seu temperamento tempestuoso e agressivo.

Estilo e gestos

Os gestos de uma pessoa controladora dizem muito, assim como seu estilo de vida. O modo de falar autoritário é tido como grosseiro, antipático e agressivo, pela entonação da sua voz, o semblante inflexível e enérgico, gerando um clima de tensão no ar.

Muitas vezes, a sua intenção nega o objetivo de ofender o próximo, mas o seu gestual corporal insinua a sua natureza controladora.

Consequências de uma pessoa controladora

De qualquer forma, mesmo para as pessoas mais próximas, a vítima deve tomar cuidado e prestar atenção às suas reações e características próprias.

Aquelas que são indelicadas em compreender uma situação e ver sempre o outro lado, provavelmente repetirão insistentemente suas ações até dominar completamente seu território, incluindo pessoas.

Guia Completo de Como Selecionar seu Psicólogo

Se você é daqueles que gosta de entender tudo nos mínimos detalhes, então esse guia é para você! No guia completo você vai conhecer todo o processo desde onde procurar e selecionar um psicólogo, como é a primeira consulta, como se preparar para a terapia, como é o processo terapêutico e até como avaliar os resultados.

COMO SELECIONAR O SEU PSICÓLOGO

Esse problema gera sofrimento para ambos, vítima e pessoa que gera a ação. A vítima deverá refletir sobre o que ocorre com ela ao se defrontar com situações desagradáveis e como ela pode lidar com isso.

Para a pessoa controladora, ela mesma terá de reconhecer este distúrbio. Buscar ajuda e orientação psicológica é bastante apropriado neste momento. A psicoterapia é o procedimento mais indicado nesses casos.

Em geral o que está por trás desse tipo de comportamento manipulador é a deficiência que a pessoa possui em não encontrar atenção para si, motivada pela baixa autoestima e insegurança.

A maioria das pessoas controladoras possuem as características acima citadas e costumam detectar os pontos fracos das vítimas. Lembre-se, uma pessoa controladora também se torna um manipulador.

Para mudar, seus interesses próprios devem não estar acima dos outros, no sentido de não afetar seus entes próximos, desenvolvendo assim, a empatia.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana Filla Brotto

CRP 06/106524 – 6ª Região

FORMAÇÃO

Psicóloga formada em 2008 pela PUC-PR, com pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.