O que é Inteligência Emocional?

Categoria dos serviços da psicóloga: serviços variados de psicologia
Inteligência Emocional

Criado pelo psicólogo norte-americano Daniel Goleman, o conceito de inteligência emocional é bastante amplo e geralmente relaciona-se à inteligência social. Basicamente, a inteligência emocional permite que o indivíduo identifique as próprias emoções com mais facilidade e, com isso, saiba lidar melhor com elas, administrando e controlando melhor os sentimentos. Dentre as vantagens de ser uma pessoa emocionalmente inteligente, está a capacidade de elevar a sua própria motivação, conseguindo seguir em frente com mais eficiência, mesmo perante adversidades e frustrações.

Uma das principais características da inteligência emocional é a capacidade de controle sobre atitudes impulsivas, canalizando os sentimentos para situações adequadas e praticando a gratidão de conseguir motivar outras pessoas, além de diversas qualidades que podem encorajar e ajudar outros indivíduos.

Está procurando por psicóloga em São Paulo para questões variadas sobre psicologia? Então conheça as psicólogas no nosso consultório de psicologia, confira o valor da consulta e agende uma consulta diretamente pelo site.

Como diz Goleman, existem cinco habilidades específicas que subdividem a inteligência emocional, sendo elas:

  • Controle emocional;
  • Empatia;
  • Autoconhecimento emocional;
  • Automotivação;
  • Capacidade de desenvolver relacionamentos interpessoais – habilidade social.

Poder controlar as próprias emoções e sentimentos, com a perspectiva de atingir um determinado objetivo, é considerada uma das principais metas para se alcançar o sucesso pessoal e profissional. Isso significa que um indivíduo com alto nível de inteligência emocional pode se concentrar no trabalho sem perder a sua produtividade, finalizando todas as suas obrigações, mesmo que esteja se sentindo triste, ansioso ou irritado por conta de algum problema particular, por exemplo.Como saber se você tem inteligência emocional elevada?

Faça as seguintes perguntas a você mesmo:

  • Você sente curiosidade sobre quem não conhece? Ao conhecer pessoas novas é um hábito comum ter empatia e se interessar pelo que fazem ou sentem?
  • Você tem perfil de liderança? Segundo o psicólogo Goleman, além de possuírem características como talento, ética, profissionalismo e ambição, os líderes natos têm um alto nível de inteligência emocional;
  • Você conhece suas forças e fraquezas? O autoconhecimento exige um alto grau de honestidade para aceitar os seus próprios defeitos e conseguir mudar a sua atitude em relação a eles;
  • Quando você fica chateado, consegue identificar o motivo?
  • Você se relaciona bem com a maioria das pessoas?
  • Você se preocupa em ser uma pessoa boa e moral?
  • Você consegue mudar a sua rotina e ritmo para ajudar o próximo?
  • Você tem capacidade de ler as expressões faciais das pessoas?
  • Quanto tempo você demora para se levantar após uma queda?
  • Você pode confiar em seus instintos?

Por fim, você sabe dizer “não”? Uma das premissas da inteligência emocional é ter capacidade de auto-regulação, para ser capaz de se disciplinar e evitar hábitos que atrapalham sua produtividade intelectual e emotiva.

Como desenvolver a inteligência emocional?

1. Faça uma análise de seu próprio comportamento

Fique atento com a sua reação diante de situações que você vive no cotidiano. Faça uma análise de suas atitudes e tente entender de que forma elas tiveram impacto em seu dia a dia e nas suas relações. Procure mudar de atitude sempre que notar que os resultados obtidos foram negativos.

2. Tenha domínio sobre suas emoções

Agir de forma impulsiva não é o meio mais inteligente de proceder na maioria das situações da vida. Portanto, tente controlar sua impulsividade antes de tomar uma decisão ou dizer algo. Procure se acalmar e encontrar a razão antes de seguir em frente. Faça exercícios de respiração e meditação em momentos drásticos para conseguir manter a calma.

3. Aprenda a controlar as emoções negativas

A vida não é composta somente por bons momentos e emoções positivas. Por isso, perante sentimentos negativos como medo, raiva, tristeza e insegurança, é necessário assumir o controle de suas ações.

4. Seja mais autoconfiante

A autoconfiança não é desenvolvida “do dia para a noite”. É preciso acreditar em seu potencial e trabalhar as suas habilidades emocionais. Saiba que você é capaz de superar todas as dificuldades, desafios, momentos de crise e vencer os obstáculos. Ressalte sempre as suas habilidades, talentos e qualidades.

5. Aprenda a lidar com as adversidades

Problemas, pressões e cobranças integram uma parte importante da vida, sendo capazes de nos derrubar ou nos fazer crescer, e isso só depende da forma como lidamos com com as adversidades. Portanto, é preciso desenvolver a inteligência emocional e aprender a lidar com os problemas do cotidiano, para evitar que as emoções negativas tomem o controle.

6. Seja empático

Colocar-se no lugar do próximo é a melhor forma de aumentar a sua capacidade de compreensão. Procure sempre se colocar na posição e na situação da outra pessoa, para entender melhor suas motivações e atitudes, pois a inversão de papéis é uma ótima forma de se tornar um indivíduo mais tolerante e paciente.

7. Busque a ajuda de um psicólogo

Caso você perceba que não consegue controlar os sentimentos impulsivos, que tem reações das quais se arrepende com frequência e gostaria de melhorar nesse sentido, o melhor caminho é procurar a ajuda de um psicólogo. Ele vai saber te orientar a respeito das mudanças que devem ser feitas para que você consiga assumir as rédeas da sua impulsividade e passe a elevar e a desenvolver a inteligência emocional.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.