Bullying Corporativo: Causas e Consequências

Bullying Corporativo

Diferente do que muitos pensam a prática do bullying não ocorre apenas nos ambientes de salas de aula. Este comportamento, que é destrutivo da autoestima, se faz presente também no ambiente corporativo, tornando-se difícil de ser identificado como um problema, passando despercebido e sendo notado quando já está em nível avançado.

O que é bullying Corporativo

O bullying corporativo é definido como afirmação de poder através de agressão, feita de forma intencional e repetitiva, causando dor e angústia à vítima, que tem sua autoestima rebaixada, sentindo-se cada vez mais fragilizada para reagir aos ataques. É uma diversão não compartilhada, mas alcançada através do sofrimento de outras pessoas, suas consequências individuais ultrapassa os limites do pessoal e prejudica o ambiente ao redor do funcionário.

Alguns exemplos típicos desse comportamento no âmbito corporativo são: críticas não cabíveis, culpar o funcionário sem justificativas reais, tratamento diferente da equipe de trabalho, ser alvo de xingamentos, gritos, piadas, humilhações, ser excluído ou isolado e constantemente vigiado.

O bullying pode acontecer em todos os níveis, tanto vertical (da chefia para o empregado) como horizontal (entre os funcionários).

A constante busca por produtividade e a situação da economia mundial tornam o ambiente de trabalho tenso, o que pode ocasionar um clima de muitas cobranças realizadas por executivos com alto grau de estresse e com pouco suporte emocional acarretando o bullying profissional de forma vertical.

Embora ainda seja invisível nas empresas, o bullying horizontal é muito comum no ambiente de trabalho. Normalmente surge pelo fato da vítima ser um bom profissional, ter ótimo desempenho e começar a incomodar os colegas que se sentem ameaçados.

Consequências do bullying Corporativo

Alvos da prática de bullying sofrem consequências físicas e mentais, tais como: Alto estresse, estresse pós traumático, baixa autoestima, problemas musculares, fobias, alterações do sono, depressão, problemas de ordem digestiva, problemas financeiros causados devido a faltas podendo resultar em desistência do emprego, pois a questão dá a desestabilização da relação da vítima com o ambiente de trabalho e com a organização.

Pesquisas tem provado que sofrer as consequências desmerecidas e ilógicas pode causar danos há longo prazo em aspectos emocionais e comportamentais das vitimas, assim sendo, a psicoterapia se faz fundamental para ajudar a vitima de bullying a entender o que ocorreu, a adquirir habilidades específicas nas relações interpessoais para que possa aprender uma postura assertiva diante das provocações, na resolução de conflitos, na melhora da autoestima e na superação dos medos perante o estabelecimento de novos relacionamentos.

O trabalho com o psicólogo ajudará a vitima olhar para dentro de si e enxergar novas possibilidades para lidar com a situação, evitando assim que se torne ansiosa, insegura, depressiva ou agressiva, também ajudará na prevenção de doenças e transtornos emocionais entre eles, depressão, transtorno de ansiedade generalizada, fobias e psicoses.

Autora: Marcia Rodrigues (Psicóloga CRP 06/101416)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.