Orientação de pais e Psicólogo

Saiba mais sobre orientação de pais, a psicoeducação

Na medida em que vão ocorrendo mudanças na sociedade – cada vez mais rápidas e drásticas -, a família é impactada diretamente. As relações entre pais e filhos e a forma como a educação acontece nos lares ganham complexidade.

Isto porque, hoje, as mulheres também trabalham fora, têm uma rotina exaustiva tanto quanto a dos homens, e a presença junto aos filhos já não se dá com a mesma qualidade e nem intensidade de antigamente. É neste cenário que entra a orientação de pais ou a psicoeducação, oferecida nos consultórios dos psicólogos.

A psicoeducação é uma forma interventiva, estruturada, didática e sistemática, que atua sobre uma perturbação ou tratamento, pretendendo alertar o indivíduo para os aspectos promocionais da saúde e preventivos da doença. É uma forma de capacitar o paciente e seus familiares sobre como agir nas situações decorrentes de um desequilíbrio emocional.

Pais mais bem preparados para lidar com os filhos

Durante o processo, o paciente e seus familiares – neste caso, os pais -, são cuidados e dotados de ferramentas que vão permitir que eles considerem a vulnerabilidade dos seus filhos, observem seus comportamentos de forma estruturada, reorganizem a sua própria identidade, moldem novos modos de como lidar com as crianças e valorizem os resultados alcançados quando virem os comportamentos sendo ajustados.

A abordagem psicoeducativa privilegia as pessoas e não o problema em si e zela, ao mesmo tempo, pela saúde mental não somente do paciente, mas de seus cuidadores. Ou seja, trata-se de uma ajuda fundamental para os pais que não estão se sentindo capazes de manter práticas educativas positivas, colocar os limites necessários e com dificuldades de influenciar no comportamento dos seus filhos. Essa orientação aos pais ocorre por meio de sessões em consultório, sendo que a quantidade dessas sessões varia muito caso a caso.

Atualmente, a educação não é mais rígida e repleta de castigos e tapas, como há anos atrás. Hoje, ela passa por muitas conversas, negociações e poucas punições. A rotina de pais e filhos mudou muito e exige uma outra postura de ambas as partes. Neste cenário, é fundamental que os pais tirem algumas horas do dia para se dedicar às crianças, que estão ávidas por carinho e dedicação. Eles precisam ter paciência e dar a atenção adequada que os filhos merecem.

Crianças exigem afeto, querem brincar junto e ser atendidas. Os pais, muitas vezes, tendem a atender esta demanda, porém, além de ser uma rotina desgastante, eles acabam tendo problemas com filhos que vão mal na escola, são agressivos, têm medo de tudo, se sentem inseguros e chegam até a desenvolver distúrbios emocionais mais graves.

Psicólogos estão preparados para ajudar os pais na educação dos filhos

Mas os pais não estão sozinhos nessa missão. Ao perceber problemas de comportamento nas crianças e dificuldades na tarefa de educar, os pais devem procurar ajuda profissional especializada. Os consultórios de psicologia estão preparados para tratar esta angústia e administrar a preocupação desses educadores em relação aos seus filhos.

A psicologia comportamental tem feito diversos estudos sobre modelos saudáveis de educação e sobre como capacitar os pais para que eles sejam capazes de levar adiante práticas educativas positivas, que contribuam para a formação de filhos saudáveis, seguros, equilibrados e com autoestima alta, de modo a enfrentarem a complexidade das relações interpessoais a que estão expostos a todo momento. O quanto antes essa ajuda profissional vier, maiores são as chances de melhorias na dinâmica familiar e de resultados efetivos e positivos.

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.