Angústia

O nó na garganta

Não existe nada mais agoniante para nós quando estamos com aquela sensação de “nó na garganta”. Aquela sensação onde qualquer pessoa que se aproxime para saber o que acontece, ou mesmo alguém que apenas pergunte “está tudo bem?” e sua resposta é apenas a vontade de chorar. Isso já aconteceu com você? Não se preocupe, isso acontece com todos nós.

Mas, nada mais justo do que entendermos o porquê deste sentimento: de onde vem? Por que estou me sentindo assim? Vai passar?

Pode parecer estranho, mas a questão é que a angústia é uma das características fundamentais para nossa formação e aprendizado. É nela que conseguimos entender o que uma situação ou pessoa representa para nós, onde falhamos, em que momento poderíamos ter agido de forma diferente, em que momento a dúvida falou mais alto e simplesmente não agimos de forma alguma.

Tudo isso, certamente, tem grande influência sobre como passaremos a enxergar algumas coisas futuramente e, principalmente, onde surge o pensamento “desta vez farei diferente”, por quê? Porque ninguém gosta de sentir angústia: nem você e nem eu.

Está procurando por psicóloga em São Paulo para questões de ansiedade? Então conheça as psicólogas no nosso consultório de psicologia, confira o valor da consulta e agende uma consulta diretamente pelo site.

Por isso, a angústia é entendida como um sentimento de aprendizado, e quando passamos a ter essa visão de que podemos, sim, tirar boas experiências daquilo que nos causou este sentimento, significa que aprenderemos a corrigir um erro, a pedir desculpas ou a desculpar, a entender o lado do outro, o porquê do seu chefe não ter te dado a promoção que você tanto queria, ou o porquê do seu namorado ter agido daquela forma e não da forma que você esperava.

E quando você não consegue entender as razões de sua angústia?

Não se assuste caso não esteja entendendo o motivo real de sua angústia, às vezes, simplesmente, você não tem motivos “aparentes” para sentir-se assim. Neste momento, uma ajuda profissional poderá auxiliá-lo a encontrar as razões e os porquês destes sentimentos e sensações que estão o incomodando.

Um psicólogo poderá ajudá-lo a discernir os pensamentos confusos, e desfazer o nó da garganta. Não ache que você está errado ou “desesperado” por querer ajuda numa situação que você julga “pequena e que logo passará”, pelo contrário, o terapeuta poderá ajudá-lo a entender o que lhe deixou assim e poderá, principalmente, ajudá-lo a aperfeiçoar sua forma de pensar, evitando que assim estes sentimentos voltem a incomodá-lo.

A questão é: não pense que sua angústia será para sempre ou que você nunca entenderá o porquê de sentir-se assim. É possível a mudança, é possível a melhora, e o fato de você estar lendo sobre isso já é um dos principais passos que você tomou para ajudar a si mesmo.

Links e Informações Úteis:

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.