Como dar início a um projeto?

Como dar início a um projeto

Todo projeto, seja ele pequeno ou grande, pessoal ou profissional, é necessário mais que vontade, é preciso determinação e muita organização. Se você vai, por exemplo, abrir um negócio próprio ou decidiu emagrecer dez quilos em seis meses, não importa, fato é que vai precisar ter um bom planejamento. Terá, ainda, que passar por algumas etapas fundamentais para chegar ao seu objetivo. E se começar do jeito certo, já será meio caminho andado. Neste post, vamos abordar como dar início a um projeto e em quais situações um psicólogo pode ajudar.

Conheça os primeiros passos de um projeto:

1 – As pedras do caminho

A primeira etapa é fazer uma análise profunda das possibilidades, ou seja, trace e estude todas as situações que fatalmente você vai encontrar no meio do caminho até que o seu projeto chegue ao fim e vire uma realidade. Lembre-se que você tem um objetivo final, então descreva quais os frutos e quais os riscos da jornada que está começando. A partir dai, relacione os diversos caminhos que podem te levar ao objetivo. O que se vê na prática é que, muitas vezes, um projeto enfrenta muitos problemas porque as pessoas envolvidas não sabem exatamente onde querem chegar e como vão chegar.

2 – Metas compartilhadas

Na segunda etapa, você vai determinar quem você precisa para alcançar seu objetivo. Isto porque, dificilmente, você vai conseguir sozinho realizar seu projeto. Sempre terão outras pessoas envolvidas, que precisam estar comprometidas com o resultado tanto quanto você. Vamos usar o exemplo que citamos no início deste post. Você resolveu perder 10 quilos. Não basta apenas você fazer dieta para chegar ao peso que considera ideal (a sua meta). É preciso avisar seus familiares e amigos, além de sua cozinheira, se for o caso, e os professores e da sua academia. Defina com todos eles qual o papel de cada um no seu projeto, porque não adianta você estar determinado a comer alimentos com baixa caloria e se exercitar da forma correta para emagrecer, se a cozinheira preparar uma lasanha para o seu almoço e seu professor lhe sugerir apenas alongamentos, certo?

3 – Tempo é dinheiro

Quando todos estiverem devidamente informados sobre onde se quer chegar e qual a função específica de cada um, chegou a hora da etapa três: estabelecer os prazos para que as tarefas sejam realizadas. Este é o cronograma do seu projeto. Lembre-se que cada atividade tem uma complexidade diferente e isto deve ser levado em conta na hora de definir o tempo exigido. Seja qual for o tempo estabelecido para as coisas acontecerem, tenha em mente o prazo final para a entrega do trabalho concluído. No exemplo da dieta, seis meses após o início do projeto. E não se esqueça, se é projeto, trata-se de um empreendimento temporário e isso que dizer que deve ter data de início e fim. Caso contrário, não e projeto!

4 – Não ponha os problemas embaixo do tapete

Cuidado para não deixar de lado os problemas que surgem no desenrolar do projeto. Se algum dos envolvidos não está participando como deveria, está pegando para si atividades que não são suas ou outro deslize qualquer que possa atrapalhar o resultado final, converse sobre isso com a pessoa. Explique o que não vai bem e tentem juntos achar uma solução. Seu filho, por exemplo, está pedindo lanche do Mc Donalds diariamente e comendo justamente no mesmo horário em que você senta para jantar seu prato de salada? Chame-o e conte a sua dificuldade em conviver com esse comportamento dele.

Quando um psicólogo pode ajudar

gora que você já sabe as etapas iniciais de um projeto, deve estar se perguntando, onde entra o psicólogo nesta história toda. Muitas pessoas, por várias razões diferentes, não conseguem dar conta destas etapas iniciais, têm dúvida quanto ao objetivo final, sentem certo bloqueio ao envolver e conversar com as pessoas que são necessárias para a realização do seu projeto e sentem muito medo dos problemas e riscos envolvidos em qualquer empreitada. Nesse caso, a ajuda de um psicólogo terá grande valor. É este o profissional que vai, por meio de uma terapia, orientar o paciente a superar essas dificuldades e a enfrentar a situação de forma a alcançar o objetivo.

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.