Narcisismo

Narcisismo

Narciso era um jovem belo e orgulhoso de si. Ao deparar-se com o seu próprio reflexo na água pela primeira vez, ele ficou tão encantado que não conseguia parar de olhar sua própria imagem. Assim, Narciso permaneceu à beira do lago até morrer. Este é o Mito de Narciso, conhecido popularmente como a origem desta característica da personalidade humana.

O conceito do narcisismo ou da autoadmiração em excesso foi explorada por diversos filósofos através da história. Não foi até muito recentemente que a noção de narcisismo enquanto distúrbio tornou-se um assunto de interesse científico no campo da psicologia.

No início do século 20 o tema atraiu o interesse de uma escola de pensamento conhecida como psicanálise. O psicanalista Otto Rank publicou a primeira descrição do narcisismo em 1911. Em 1914, Sigmund Freud publicou um artigo chamado “Introdução ao Narcisismo”, no qual sugeriu que o narcisimo na verdade faz parte da psique humana.

Durante os anos 60, diversos estudiosos se interessaram ainda mais pelo assunto, desenvolvendo inúmeras teorias. Em 1968, o termo “transtorno de personalidade narcisista” foi cunhado, sendo oficialmente reconhecido como patologia pelo DSM em 1980, distinguindo critérios para seu diagnóstico.

Já na publicação do DSM-5 de 2013, o transtorno de personalidade narcisista, junto com outros quatro transtornos de personalidade, foi excluído causando controvérsia e discussão, principalmente por psicólogos que tratam pacientes que sofrem do distúrbio.

Transtorno de personalidade narcisista

Indivíduos com transtorno de personalidade narcisista geralmente acreditam que o mundo gira em torno deles. Tal condição é caracterizada pela falta de empatia com os demais e o desejo de chamar todas as atenções para si em qualquer situação.

O Transtorno da Personalidade Narcisista envolve comportamento arrogante, falta de empatia por outras pessoas, e uma necessidade de ser admirado –todas estas características devem ser consistentemente evidente no trabalho e nos relacionamentos do paciente.

Já o narcisismo é uma versão menos extrema do Transtorno de Personalidade Narcisista. As pessoas narcisistas são descritas como arrogantes, egocêntricas, manipuladoras e exigentes. Ainda, buscam por realizações pessoais irreais (ex.:ser famosa), e acreditam que merecem tratamento especial.

Os narcisistas tendem a ter uma autoestima elevada. No entanto, o narcisismo não é o mesmo que autoconfiança; pessoas confiantes geralmente são humildes, ao passo que narcisistas raramente o são. Antigamente, pensava-se que os narcisistas eram autoconfiantes apenas na superfície, pois no fundo eram extremamente inseguros. No entanto, evidências mais recentes indicam que os narcisistas realmente são seguros de si e se sentem imponentes em todos os níveis.

Sintomas

  • Reage a críticas com raiva e sente necessidade de humilhar o “agressor”
  • Exagera o senso de sua própria importância
  • Conheça cada um de nós lendo nosso perfil individual em psicólogos sp. Você poderá também ver os horários disponíveis e agendar sua consulta ou ainda solicitar que a nossa secretária ligue para você.

  • Exagera ao falar de suas conquistas e talentos
  • Espera irrazoavelmente por um tratamento especial
  • Requer atenção constante e elogios dos outros
  • Ignora o sentimento dos outros
  • Sente inveja com facilidade
  • Possui objetivos egoístas

Tratamento

O tratamento clínico não é muito comum, pois a maioria dos narcisistas evita a terapia. No entanto, um psicólogo pode ajudar a pessoa que sofre do transtorno a se importar mais com os demais, ao passo que o narcisismo reduz gradativamente, tanto na psicoterapia quanto na terapia em grupo.

Quem leu esse texto também se interessou por:

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.