O que fazer quando os seus filhos não se adaptam a uma nova escola?

O que fazer quando os seus filhos não se adaptam a uma nova escola

Frequentar a escola pela primeira vez ou mudar de colégio em qualquer fase da vida, seja na infância ou na adolescência, tende a ser um processo bastante difícil e tenso para seus filhos, e que requer muita paciência, compreensão e carinho por parte dos pais. Muitas vezes, a dificuldade das crianças vai além do que os responsáveis podem fazer, sendo necessária a intervenção de um psicólogo especialista em terapia infantil para auxiliar o processo de adaptação.

A experiência e os desafios enfrentados no berçário ou jardim de infância podem se repetir, pelo menos em parte, na mudança de uma escola para outra. Neste caso a participação dos pais é novamente fundamental, pois nesse novo processo a criança necessitará novamente de muito apoio emocional e psicológico.

Ambiente novo – tudo de novo! Apoie os seus filhos na nova escola

Antes de tudo é muito importante que os pais procurem conhecer a nova escola e tudo que a envolve: professores, auxiliares, ambiente e sistema de ensino adotado.

Se o medo da criança ou do adolescente é o de perder os amigos da escola atual, vale tranquilizá-los ao dizer que as amizades permanecerão e ainda mostrar a oportunidade de fazer novos amigos na escola nova.

Os pais devem acompanhar os filhos no período de adaptação ao novo ambiente. Isso dará mais segurança e confiança a eles. Falar com a professora, conhecer os colegas, participar em alguma atividade, por exemplo, são atitudes importantes. No caso de alunos crianças, conforme a idade, pode ser indicado ficar algumas horas junto à eles na escola, durante os primeiros dias.

Se tiver o hábito de buscar a criança na escola, preocupe-se em ser pontual, para que ela confie que o pai ou mãe sempre estará lá esperando.

Reagindo à nova escola

Passado o período inicial na nova escola, o comportamento da criança deverá entrar na normalidade à medida que fará novos amigos e se sentirá à vontade.

Nesta fase podem ocorrer algumas interferências sem muita preocupação, um colega que não é muito agradável, alguma regra nova mais difícil de se adaptar, mas nada que venha a comprometer o rendimento escolar.

Porém, os pais devem ficar atentos para o caso de haver consequências mais preocupantes. Por exemplo, se o rendimento escolar decair muito, se surgirem problemas de relacionamento mais sérios ou mesmo se a criança passar a apresentar sintomas de depressão, dificuldade para dormir, febre, dores de garganta ou cabeça que não tinha antes e resistência em ir para a escola, são sinais de que será necessário um apoio psicológico em consultório.

Hora de procurar ajuda de um psicólogo

Em casos mais sérios como os mencionados acima, é aconselhável que os pais busquem a orientação e o apoio de um psicólogo. Nas situações em que não existam motivos reais para se pensar em uma nova mudança de escola, a terapia infantil pode auxiliar e proporcionar à criança um processo de adaptação menos doloroso.

Terapia infantil e a nova escola

De uma forma muitas vezes lúdica, com muita conversa e algumas ferramentas específicas, o psicólogo pode descobrir o que realmente está acontecendo e o que se esconde por trás das reações da criança.

Na terapia infantil, o psicólogo se envolve não só com a criança e os pais, mas também com o ambiente escolar para poder reconhecer o que está causando desconforto na criança e assim contribuir para que a adaptação aconteça de forma definitiva.

E lembre-se: mesmo com o apoio psicológico, o carinho e a atenção dos pais são sempre necessários e bem-vindos. Afinal, toda criança necessita sentir que os pais estão por perto seja qual for a dificuldade.

Fique atento às reações de seu filho e não hesite em procurar ajuda profissional de um psicólogo.

Autora: Thaiana F. Brotto Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.