Depressão em adolescentes: como resolver?

Depressão em adolescentes

A adolescência é uma fase de complicada, de muitas descobertas, transições e conflitos. Por isso, é comum que o adolescente apresente algumas mudanças comportamentais características da idade. No entanto, essa fase também é um momento da vida vulnerável à depressão e, justamente pelas crises normais da adolescência, o diagnóstico pode ser um pouco complicado.

Com tantas transformações no corpo, surgimentos de novas responsabilidades e dúvidas sobre o futuro, é normal que o adolescente tenha mudanças repentinas de humor e se sinta mais irritado, desanimado, confuso e incompreendido. O problema começa quando esses comportamentos duram mais que duas semanas e impedem que o adolescente vá à aula, saia com os amigos e realize suas atividades normalmente, o que já pode significar um quadro de depressão ou ansiedade.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, 13% dos adolescentes sofrem com depressão. Com isso, toda a rotina é interrompida, pois o depressivo não consegue conduzir sua vida de maneira normal. A depressão, quando não tratada, se torna cada vez mais grave e mais intensa, conduzindo a diversos casos de suicídio, sendo uma das maiores causas de morte entre jovens. O suicídio é a consequência mais grave da doença, mas não é a única, pois ela afeta múltiplas funções e causa danos psicossociais significativos.

Alguns sintomas são bem típicos da depressão na adolescência e podem servir como um alerta. São eles:

  • Diminuição do interesse por atividades que sempre gostou;
  • Ganho ou perda de peso brusca;
  • Agitação ou apatia;
  • Perda da capacidade de concentração;
  • Insônia ou excesso de sono;
  • Cansaço;
  • Sentimento de culpa;
  • Ideias suicidas.

Quando a depressão atinge os meninos, é bem comum que eles assumam uma postura agressiva, de desdém pelos outros, tornando-se violento e tendo problemas de conduta dentro de casa e na escola. Já as meninas costumam se sentir extremamente entediadas, tristes, ansiosas e com baixa autoestima.

Tratamento do adolescente com depressão

Como já explicamos outras vezes por aqui, depressão é uma doença e precisa de tratamento específico. Para isso, é fundamental procurar um psicólogo que faça um diagnóstico assertivo e consiga ajudar o adolescente com sessões de terapia, além de encaminhá-lo para um psiquiatra indicar o tratamento com medicamentos antidepressivos, se for o caso.

Os remédios são necessários porque a depressão é uma doença do desequilíbrio do cérebro. Os neurotransmissores do depressivo não funcionam da maneira correta, dificultando a transmissão de estímulos. É nisso que os remédios agem, revertendo essa situação e regularizando o funcionamento do cérebro.

A psicoterapia contribui muito para a melhora do adolescente depressivo. É importante que ele tenha com quem falar sobre as suas angústias, questionamentos e tristezas. O psicólogo consegue ajudar no ganho de autoconhecimento e ensina a lidar com as situações de pressão.

Para os jovens, uma opção interessante é a terapia em grupo, onde eles podem compartilhar suas ideias e sentimentos com outros adolescentes e perceber que não são os únicos a se sentirem assim. Outra opção é a terapia em família, envolvendo pais e irmãos no tratamento para que todos saibam qual é a melhor maneira de agir.

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.