Como a psicologia positiva o ajuda a ser feliz

Categoria dos serviços da psicóloga: serviços variados de psicologia
Psicologia Positiva e Felicidade

Você já ouviu falar de psicologia positiva? Ela vai muito além de um campo de atuação, é uma maneira de encarar a vida.

A psicologia possui muitas áreas de estudo que buscam entender comportamentos e transtornos tais como compulsão, ansiedade etc. E você sabia que existe uma área que busca entender os mecanismos do que chamamos felicidade? Trata-se da chamada psicologia positiva.

Ela pode ser muito importante para a sua vida, principalmente se você busca ser feliz. Que tal conhecer mais sobre a psicologia positiva e ainda aprender algumas dicas que o ajudem a ter mais bem-estar? Então leia nosso artigo!

O que é psicologia positiva?

A psicologia positiva é uma ciência que estuda os aspectos positivos da vida humana, como a felicidade, o bem-estar, o amor etc. Ela também pode ser definida como o estudo científico do funcionamento ideal de um ser humano. Ela ainda visa descobrir e promover os fatores que permitem aos indivíduos e às comunidades prosperarem.

Está procurando por psicóloga em São Paulo para questões variadas sobre psicologia? Então conheça as psicólogas no nosso consultório de psicologia, confira o valor da consulta e agende uma consulta diretamente pelo site.

Ao invés de enfatizar deficiências e problemas, a psicologia positiva busca dar foco ao potencial do indivíduo. Ou seja, ela não visa resolver problemas, mas se concentra em descobrir e promover coisas que fazem a vida valer a pena.

A psicologia positiva é um campo muito recente, porém em rápida expansão. Ela deseja realizar pesquisas empíricas sérias que tragam resultados sólidos sobre os aspectos positivos da vida, tais como sabedoria, saúde psicológica, bem-estar, criatividade entre outros.

Como a psicologia positiva atua?

A ciência da psicologia positiva opera em três níveis diferentes: – o nível subjetivo, o nível individual e o nível do grupo.

O nível subjetivo inclui o estudo de experiências positivas como alegria, bem-estar, satisfação, contentamento, felicidade, otimismo e demais aspectos positivos da vida. Essa esfera é sobre se sentir bem ao invés de fazer o bem ou ser uma boa pessoa.

>>> Veja também: Autoestima: é possível ser plenamente feliz e satisfeito consigo mesmo?

No próximo nível, o objetivo é identificar os componentes da “boa vida” e as qualidades pessoais que são necessárias para ser uma “pessoa boa”. Isso é possível por meio do estudo das forças e virtudes humanas, de ter esperança e fazer planos para o futuro, possuir capacidade de amar, ter coragem, perseverança, perdão, originalidade, sabedoria, habilidades interpessoais e superdotação etc.

Finalmente, no nível de grupo ou comunidade, a ênfase está nas virtudes cívicas, responsabilidades sociais, nutrição, altruísmo, civilidade, tolerância, ética do trabalho e outros fatores que contribuem para o desenvolvimento da cidadania e das comunidades.

Por que a psicologia positiva é importante?

De acordo com os psicólogos que aplicam a psicologia positiva, é muito comum qe as terapias deem foco excessivo aos aspectos negativos do paciente, como convulsividade, irritabilidade entre outros. Eles afirmam que tão importante quanto tratar os transtornos é incentivar e fomentar os aspectos positivos da vida do paciente, como lazer e suas características positivas.

Por exemplo, caso você falasse para seus amigos e entes queridos que iria consultar um psicólogo, qual seria o questionamento que eles lhe fariam?

  • O que você tem? O que está acontecendo com você?
  • Que maravilha! Você está planejando se esforçar em melhorar e se aperfeiçoar?

A terapia é muito importante não apenas para tratar e prevenir transtornos. Ela contribui para o autoconhecimento, autoestima e fortalecimento do indivíduo. Ela ajuda as pessoas a lidarem com todas as situações da vida, como conflitos no trabalho e na família e a encontrar uma resolução que faça a vida prosperar e a florescer.

A psicologia não deve ser encarada como a ciência da doença e da tristeza, mas sim como a ciência da vida e da cura.

Gostou do artigo? Então você vai se interessar muito por esse artigo: É possível ser plenamente feliz?

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.