Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Depressão pós-parto: como lidar?

Depressão pós-parto

A depressão pós-parto é um dos transtornos de humor mais recorrentes que surgem após a gravidez, afetando possivelmente mais de 10% das mães.

Psicólogos e obstetras concordam em afirmar que a causa primária da depressão pós-parto é a enorme queda hormonal logo após o nascimento do bebê. Há também fatores psicossociais que influenciam no desencadeamento do distúrbio.

Mudanças, doenças, falta de apoio do parceiro, dificuldades financeiras e isolamento social podem afetar negativamente o estado mental da mulher.

A privação de sono e a falta de nutrientes adequados no cérebro durante a gestação também é um agente provocador da depressão pós-parto.

Sintomas da depressão pós-parto

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Letícia






Não quero informar nome ou e-mail





Primeiramente é preciso diferenciar a “tristeza materna” da depressão pós-parto. A chamada tristeza materna é um fenômeno que possivelmente afeta metade das mães logo após o parto.

Também caracterizada pelas alterações de humor, a tristeza materna ocorre de maneira leve e transitória, do qual a mãe volta ao seu estado emocional normal em no máximo um mês após o fim da gestação.

Já a depressão pós-parto pode se dar a qualquer momento durante o primeiro ano após o nascimento – geralmente dentro de 4 semanas após o parto, mas algumas vezes, pode surgir vários meses mais tarde.

Os sintomas devem estar presentes por pelo menos 2 semanas e deve afetar a capacidade de realizar atividades cotidianas. A depressão pós-parto é mais grave do que a tristeza materna, e deve receber a maior atenção possível, logo que a própria mãe ou o parceiro identifique os sintomas, que podem incluir:

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

  • Perda de apetite;
  • Insônia;
  • Irritabilidade e raiva;
  • Fadiga intensa;
  • Perda de libido;
  • Descontentamento;
  • Sentimento de vergonha ou culpa;
  • Alterações de humor severas;
  • Dificuldade em relacionar-se com o recém-nascido;
  • Reclusão da família e amigos;
  • Perda de interesse em atividades que antes eram prazerosas;
  • Falta de preocupação e/ou cuidados com o bebê;
  • Pensamentos recorrentes sobre machucar a si mesmo e/ou ao bebê.

A depressão pós-parto pode ocasionar outros problemas?

Os Psicólogos

Conheça os psicólogos do nosso consultório, área de atuação, abordagens e especializações.

EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Quando a nova mãe está enfrentando uma depressão severa, a relação vital entre mãe e filho pode se tornar frágil e ser danificada para sempre. Ela será cada vez menos capaz de responder positivamente às necessidades da criança.

A atenção da mãe dedicada a filho, mesmo imediatamente após o nascimento, é de extrema importância, pois no primeiro ano de vida é um período crucial para o desenvolvimento cognitivo.

Prevenção e tratamento

Na maioria dos casos sim, é possível prevenir a depressão pós-parto; o diagnóstico precoce ajuda bastante no sucesso do tratamento. O elemento chave da prevenção é manter-se informada sobre os fatores de risco.

Guia Completo de Como Selecionar seu Psicólogo

Se você é daqueles que gosta de entender tudo nos mínimos detalhes, então esse guia é para você! No guia completo você vai conhecer todo o processo desde onde procurar e selecionar um psicólogo, como é a primeira consulta, como se preparar para a terapia, como é o processo terapêutico e até como avaliar os resultados.

COMO SELECIONAR O SEU PSICÓLOGO

É importante conversar com o seu médico a respeito das suas chances de desenvolver a depressão pós-parto. Se você está grávida e já sofreu de depressão anteriormente, considere conversar com um psicólogo para realizar um acompanhamento do seu estado emocional durante a após a gestação.

O tratamento mais indicado é a psicoterapia, que demonstra um grande avanço na condição emocional da paciente. Mesmo em casos severos onde a depressão já está afetando a vida da mãe por completo, as sessões com um psicólogo especializado em tratar transtornos pós-natal pode realizar uma melhora significativa na vida da mãe.

Além disso, recomendamos que você sempre busque apoio de familiares, amigos ou sua comunidade, sempre que possível.

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Filla Brotto

Thaiana é psicóloga e CEO do consultório Psicólogos Berrini. Psicóloga formada em 2008 pela PUC-PR, com pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Thaiana Brotto é registrada no Conselho Regional de Psicologia sob o número 06/106524

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *