Reatando após o divórcio

Reatando após o divórcio

Reconciliar-se com o ex-marido, ou com a ex-mulher, pode ser uma decisão tão difícil quanto o próprio divórcio. Afinal, já está cada um de um lado, ambos já passaram pelo stress envolvido na divisão de bens e na assinatura dos papéis. Se o casal tiver filhos pequenos, a situação fica ainda mais delicada: como e quando contar para as crianças?

Muitos casais ficam em dúvida sobre qual o próximo passo a ser dado, depois que os dois decidem que querem tentar novamente. Para que a nova vida a dois seja saudável, uma das dicas é: conversar, muito – algumas vezes, com apoio de um psicólogo. Leia mais sobre o assunto:

O que deve ser avaliado ao reatar um casamento?

Depois de um período separado, é normal que o casal sinta falta da antiga vida a dois. Da companhia, dos momentos agradáveis e até dos amigos em comum – que tendem a escolher um ou outro lado. Também é normal que os motivos da separação tenham sido esquecidos com o passar do tempo, o que pode ser perigoso, caso os dois decidam que querem ficar juntos novamente.

Antes de tudo, é preciso avaliar: qual é o real motivo da reconciliação? Se forem financeiros ou relacionados à carência, por exemplo, reatar pode não ser uma ideia tão boa quanto parece. É preciso que o motivo de ambas as partes esteja claro, para garantir que ele justifique uma nova tentativa.

Também é essencial que o casal discuta os motivos que levaram à separação – antes de encerrar o assunto de vez. Para que o novo casamento seja mais saudável, é preciso muito diálogo entre os dois. A ajuda de um psicólogo pode ser fundamental nessa hora: este é um profissional apto para guiar as conversas do casal, garantindo que elas fluam da melhor forma possível.

E se houve traição?

Não são raros os casos de casamentos que terminam porque houve traição. É possível reatar um relacionamento depois que algo assim acontece, mas é muito importante que a pessoa traída, de fato, perdoe o companheiro. Caso contrário, este é um assunto que pode se tornar recorrente nas discussões do casal – algo que não é saudável para nenhum relacionamento. Mais uma vez, um psicólogo é essencial para que o casal fale sobre os seus sentimentos e encontre a melhor maneira de contornar, juntos, a situação.

É importante saber que, quem reata depois de um divórcio, não recomeça do mesmo ponto em que parou, mas começa uma nova vida a dois. Para isso, é preciso, antes, resolver todos os problemas do passado que levaram ao divórcio.

Como contar para os filhos<

Crianças tendem a reagir de forma positiva à reconciliação dos pais. Mas é preciso ter cuidado para não confundir a cabeça dos filhos pequenos. Primeiro, é indicado que o casal se certifique de que ambos realmente acreditam que vale a pena tentar reatar o relacionamento. Depois, é hora de contar para os filhos: para isso, basta ter uma conversa honesta e mostrar disponibilidade para tirar qualquer dúvida que as crianças possam ter.

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.