Você tem jogo de cintura? 8 maneiras de ser mais maleável no trabalho

Você já pensou no quão importante é ter jogo de cintura? Essa expressão de raízes brasileiras é usada para se referir à capacidade de lidar com situações adversas com sofisticação. É sobre ser flexível e tirar melhor proveito de cada ocasião, mesmo as mais desagradáveis, segundo psicólogos.

Para transitar entre os nossos compromissos, não precisamos somente de tempo e boa disposição física. É necessário também ser maleável, ter mente aberta e separar o que é bom para a saúde mental do que é ruim ou sem utilidade. No ambiente profissional, a importância dessas competências triplica.

Continue lendo
Estabelecendo limites no trabalho remoto

Criar rituais e rotinas pode ajudá-lo(a) a estabelecer limites no trabalho remoto. Isso ajudará você a preservar a sua vida pessoal.

Trabalhar em casa tornou-se o novo normal para a maioria das pessoas neste momento de pandemia. Depois de quase três meses, as pessoas adaptaram mesas, escrivaninhas e suportes de TV para servir como escritórios em casa.

Segundo os psicólogos, quando a adrenalina inicial de mudar para o trabalho (e estudos em casa para quem ainda está na escola) começa a desaparecer, surge a necessidade de criar limites entre a vida pessoal e profissional dentro da sua casa

Continue lendo
É apoio ou coerção do chefe? Entenda a diferença

Coerção do chefe pode facilmente confundido com apoio.  Saiba como lidar com um chefe manipulador.

A figura do chefe em um local de trabalho precisa gerar respeito e, em situações ideais, inspirar seus colaboradores.

Porém, a autoridade do chefe, muitas vezes, parece estar mais relacionada a sentimentos de medo e a coerção, o que nos leva a seguinte pergunta: coerção do chefe ou apoio, como identificar?

Continue lendo
Você tem um chefe maquiavélico?

Descubra se você tem um chefe maquiavélico e quais são as principais características desse comportamento.

Para um chefe maquiavélico os fins justificam os meios — é o que descreve Maquiavel no seu célebre livro “O Príncipe”. Os psicólogos dizem que para um chefe maquiavélico o trabalho precisa ser feito, custe o que custar, doa a quem doer.

Para esse tipo de chefe, mas vale ser temido do que ser amado — um dos princípios orientadores do maquiavelismo. 

Continue lendo