Como falar para os filhos sobre divórcio

Como falar para os filhos sobre divórcio

Crianças em variados níveis de desenvolvimento, naturalmente, têm uma compreensão diferente do divórcio. Os pais, portanto, precisam discutir o assunto sob medida, de acordo com a maturidade dos seus filhos. Os pais de crianças mais novas devem manter as rotinas, dar consistência nas regras e expectativas, e proporcionar um carinho extra. É preciso dizer às crianças repetidas vezes que o divórcio não é culpa delas, e que as ama. Já os filhos adolescentes provavelmente vão querer mais detalhes sobre o divórcio e como isto afetará suas vidas. Os pais dos adolescentes devem ter conversas abertas e calmas e apoiar as reações emocionais dos jovens.

Mantenha a conversa simples e clara

Para todos os filhos, a mensagem dos pais deve ser clara e simples. Devem-se deixar de fora detalhes complicados que podem levar as crianças a acreditarem que elas precisam corrigir o problema ou que são a causa da separação. Os pais— de preferência juntos — devem explicar em um tom calmo, algo como: “nós decidimos que não podemos mais viver juntos, e não queremos ficar casados. Isso não foi uma decisão fácil, mas foi uma decisão adulta. Não tem absolutamente nada a ver com você, nós ambos te amamos por completo”. As crianças podem ter sentimentos mistos em reação à notícia.

Alguns pontos podem ajudar ainda mais a conversa:

  • Transparecer felicidade, pai e mãe
  • Dizer que agora ele terá dois lares em que serão amados
  • “Você vai continuar fazendo parte de nossas vidas do jeito que sempre foi.”

É importante ouvir e prestar atenção às reações de seus filhos

Para crianças mais velhas, esta notícia às vezes nem pode surpreender tanto. Eles podem ter amigos com pais divorciados. Para outras crianças, a notícia pode vir como um choque. Tanto as preparadas quanto as que não estão têm muitas dúvidas, e geralmente têm medo de perguntar. Algumas perguntas serão imediatas; outras irão aparecer com o tempo. Por esta razão, é importante dar repetidas oportunidades para que seu filho faça perguntas e expresse seus medos.

Certifique-se que seus filhos têm a certeza de que estão seguros

Crianças costumam se concentrar a respeito de sua própria proteção. Muitas se perguntam como o divórcio irá mudar suas vidas no dia a dia, enquanto outras preocupações podem permanecer silenciosas. A maioria das crianças tem a preocupação de ter sido responsável pela dissolução do casamento, porém poucas encontram coragem de perguntar isso diretamente aos pais.

Perguntas e dúvidas que podem ser feitas:

  • A culpa é minha?
  • Eu poderia ter feito alguma coisa pra vocês continuarem juntos?
  • E se eu me comportar, vocês voltariam a ficar juntos?
  • Você vai continuar me amando, mesmo morando em outra casa?
  • Conheça cada um de nós lendo nosso perfil individual em psicólogos sp. Você poderá também ver os horários disponíveis e agendar sua consulta ou ainda solicitar que a nossa secretária ligue para você.

  • Com que frequência vamos nos ver?
  • Eu vou ter que me mudar?
  • Eu vou ter que mudar de escola?

Psicólogos concordam que as chaves para responder a estas perguntas estão na clareza, honestidade e garantia de que eles permanecerão seguros e amados. Esteja à frente sobre as mudanças que ocorrerão e ajude-os a preparar-se com antecedência. Transformações no cotidiano podem ser muito assustadoras para uma criança; pode levar um tempo antes que ela entenda suas novas condições de vida e a divisão da custódia. Tente minimizar ao máximo quaisquer interrupções de suas rotinas e ofereça apoio ao procurar maneiras de lidar com os sentimentos da criança como fazer brincadeiras, arte, conversar com amiguinhos ou passeios ao ar livre. Seja qual for o método escolhido, mantenha as necessidades de seus filhos em primeiro lugar.

Garanta que seu filho saiba que não é culpa dele, nem de ninguém

As crianças devem saber que não há absolutamente nada que tenham feito e que causou o divórcio de seus pais. Esta afirmação deve ser reforçada repetidamente – que a separação foi uma decisão adulta, com base em problemas de adultos. Este pode ser um ponto difícil de transmitir de uma forma convincente, principalmente se questões a respeito da educação da criança foram muitas vezes o motivo de discussão entre o casal. No entanto, esta afirmação é um dos pontos mais importantes a ser enfatizado.

Da mesma forma, as crianças também devem saber que não há nada que elas posam fazer para corrigir o problema. Isso não é da sua responsabilidade.

Procure ajuda de um profissional

Se você esta passando por dificuldades em comunicar o divórcio aos seus filhos, procure a ajuda de um psicólogo. De fato, o auxilio de um psicólogo familiar pode ajudar tanto no anúncio da separação, quanto durante o período de mudanças, e inclusive acompanhar a reação emocional de seu filho nos primeiros meses.

Quem leu esse texto também se interessou por:

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.