Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Você se dá bem com a rotina?

Você se dá bem com a rotina?

Ter uma rotina é muito importante, mas será que para todo mundo? Enquanto algumas pessoas funcionam muito bem com uma rotina, outras não gostam da ideia de se prender a um padrão de atividades ou afazeres diários.

Personalidades célebres do mundo dos negócios, dos esportes, de ciência e da arte são admiradas por seguirem regras estritas de rotina todos os dias. Entretanto, será que essa forma de organização serve para todas as personalidades? Há como driblar a mesmice da rotina e torná-la mais proveitosa?

Neste post, vamos falar sobre a psicologia da rotina.

A rotina é para todo mundo?

Fazer a mesma coisa dia após dia pode ser angustiante para algumas pessoas. As atividades domésticas e profissionais eventualmente se tornam maçantes, e elas logo ficam deprimidas com a ausência de novidades.

Como têm espírito livre, querem diversificar as suas experiências cotidianas, não somente aproveitar o tempo de descanso dos finais de semana.

Pessoas muito curiosas e espontâneas tendem a não gostar de rotinas. A mesmice não satisfaz a necessidade por conhecimento, vivências emocionantes e novos relacionamentos desses indivíduos.

É verdade que uma rotina maçante tem a capacidade de sugar a felicidade. Subitamente, percebemos que nos encontramos no piloto automático, agindo sem pensar. Nossas ações, conversas e até pensamentos são os mesmos todos os dias. Assim, passamos a ter dificuldade para sentir.

Os sentimentos e as sensações são muito importantes. Os humanos são seres emocionais, então, as emoções agem como combustíveis para o seu funcionamento. Eles precisam sentir excitação, euforia e curiosidade periodicamente. A falta de sentimentos e de sensações positivas pode até levar à depressão.

Ainda assim, é importante ter uma rotina ou, pelo menos, hábitos consistentes.

A importância da rotina

Segundo psicólogos, a rotina nada mais é que um processo de execução de hábitos que produzem efeito positivo na saúde física e mental.

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Vânia






Não quero informar nome ou e-mail





Eles se iniciam já no despertar. Acordar cedo, não pegar o celular assim que levantar, fazer meditação, tomar café da manhã com calma, tomar um banho gelado e praticar exercícios físicos são alguns dos hábitos que compõem a rotina matinal de várias pessoas.

Ao longo do dia, esses hábitos se modificam. No trabalho, por exemplo, as pessoas possuem a sua própria rotina de tarefas e um esquema de métodos para conclui-las. Quando essas são interessantes, elas sentem-se eficientes e produtivas. Já quando não correspondem às suas expectativas, a rotina profissional se torna enfadonha.

À noite, começa outro procedimento rotineiro. Jantar com a família, descansar na frente da TV, praticar uma atividade física, fazer um curso, tomar um chá calmante e fazer técnicas de relaxamento são fatores da rotina noturna saudável.

Todos os hábitos da rotina devem possuir o intuito de estabelecer dias produtivos e sossegados, livre de estresse e preocupações excessivas. Em outras palavras, a chave para uma vida rotineira saudável está na qualidade dos costumes que escolhemos cultivar.

Manter uma rotina coerente é importante para o sucesso e a saúde mental. Mesmo quem não gosta de previsibilidade, pode encontrar formas de enriquecer o seu cotidiano.

Benefícios de seguir uma rotina

Quando o corpo se acostuma a fazer a mesma coisa todo dia, ele funciona melhor. Possuímos mais disciplina, concentração e disposição para concluir os afazeres da nossa lista de tarefas. Diminuímos também a possibilidade de imprevistos quando nos preparamos para enfrentar a mesma rotina diariamente.   

Abaixo, veja mais alguns benefícios de manter uma rotina consistente:

  • Regula os hormônios do corpo, combatendo o estresse;
  • Mantém o humor consistente por um período maior;

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

  • Quando os exercícios físicos estão inseridos na rotina, ela combate o sedentarismo;
  • Ajuda a criar hábitos saudáveis;
  • Promove o aprimoramento de habilidades devido à repetição constante;
  • Cria um padrão do sono;
  • Incentiva a criatividade, pois coloca tarefas maçantes no piloto automático. Assim, você tem mais tempo para ser criativo e inovador;
  • Traz ordem e praticidade para o dia a dia;
  • Estabelece o foco nas prioridades;
  • Melhora a organização do tempo, criando mais tempo livre para descansar e fazer lazer; e
  • Combate a sensação de inutilidade e improdutividade porque nos sentimos mais produtivos.

Para quem não gosta: como tornar a rotina interessante

A sua rotina diária não precisa seguir o mesmo molde de milhares de pessoas. Cada indivíduo sabe o que é melhor para si, então, deve selecionar os hábitos correspondentes aos seus gostos. É claro que é difícil fugir das tarefas domésticas e profissionais, que costumam ser os pontos mais tediosos do dia.

Quem não gosta de rotina precisa compreender que a disciplina e a consistência de hábitos não tiram a graça da vida.

Na verdade, a rotina pode até expressar uma certa segurança porque não é preciso tomar decisões drásticas com frequência. Dessa forma, sobra mais tempo para você pensar e fazer coisas agradáveis.

É igualmente importante ter consciência que a rotina pode ser quebrada a qualquer momento. Todos nós devemos sair da normalidade de vez em quando. É nas situações de anormalidade que reencontramos o entusiasmo pela vida.

Para você aprender a gostar de rotina, separamos algumas dicas abaixo.

1.          Quebre a rotina de vez em quando

Os Psicólogos

Conheça os psicólogos do nosso consultório, área de atuação, abordagens e especializações.

EQUIPE DE PSICÓLOGOS

A primeira dica para ter uma rotina interessante e aprender a amar a previsibilidade é, ironicamente, quebrá-la ocasionalmente.

Você pode fazer isso de pequenas formas, como escolher um caminho diferente para ir ao trabalho, assistir um filme de gênero muito diferente, almoçar em um restaurante novo e conhecer um bar do outro lado da cidade.

Quebrar a rotina traz diversidade de sentimentos e experiências para o seu cotidiano, tornando-o mais interessante. Deste modo, você deixa de focar somente nos seus compromissos obrigatórios.

Assim que sentir o ócio se estabelecendo, faça algo diferente e, de preferência, divertido. Lembre-se sempre que você é responsável por suas experiências de vida, então, buscar a alegria diária é um dever unicamente seu.

2.         Inclua atividades bacanas entre os compromissos

A vida não é feita somente de trabalho e de obrigações! Um dos pontos positivos de seguir uma rotina é a organização do tempo. Você consegue planejar as suas atividades, delimitando prioridades e dedicando tempo exclusivamente para o tempo livre.

Nesses momentos, você pode incluir atividades diferentes, como hobbies, cursos, passeios, viagens rápidas, passeios nos parques e shoppings, entre outros.

Quem não tem o costume de planejar a semana, pode encontrar problemas para definir horários e segui-los. Compreenda que não é necessário seguir estritamente os seus planos semanais. Imprevistos podem acontecer e suas ideias podem se modificar de súbito, então, não se prenda a isso para evitar frustrações.

3.         Modifique costumes com frequência

Guia Completo de Como Selecionar seu Psicólogo

Se você é daqueles que gosta de entender tudo nos mínimos detalhes, então esse guia é para você! No guia completo você vai conhecer todo o processo desde onde procurar e selecionar um psicólogo, como é a primeira consulta, como se preparar para a terapia, como é o processo terapêutico e até como avaliar os resultados.

COMO SELECIONAR O SEU PSICÓLOGO

Outra forma de tornar a rotina interessante para quem não gosta de seguir hábitos cotidianamente é modificá-los. É claro que costumes benéficos para a saúde física e a mental devem ser mantidos.

Entretanto, você pode mudar o jeito de fazer coisas quando quiser. As pessoas tendem a passar métodos, hábitos e modos de pensar de geração em geração simplesmente porque não param para pensar sobre eles. Às vezes, até são prejudiciais para a sua vida.

Então, busque outras formas de fazer a mesma coisa para exercitar o cérebro e diversifique hábitos cuja mudança não causará tanto impacto.

Por exemplo, modifique as suas técnicas de relaxamento quando sentir que elas não estão mais dando certo. Mude da meditação para o relaxamento, do relaxamento para a escrita terapêutica, da escrita terapêutica para o SPA em casa, e assim por diante. Quando você revisitar as técnicas antigas, você sentirá como se elas fossem novas!

4.         Convide pessoas para se divertir com você

Convide pessoas próximas para se divertirem com você sempre que possível. Os programas sociais podem ser simples, como sair para comer após o trabalho, fazer uma atividade física ou somente conversar em casa.

Busque eventos locais na sua cidade na internet e faça convites para aproveitar as oportunidades. Às vezes deixamos passar eventos interessantes porque não aprendemos a procurar por eles.

Caso não tenha companhia para fazer o que deseja, vá sozinho e procure novas amizades naquele ambiente. Para quem não tem o hábito de sair sem companhia, esse exercício é muito bom para perder a vergonha.

5.         Preste atenção em suas emoções

Ninguém gosta de ficar preso no piloto automático. É inevitável, no entanto, se acostumar com o que fazemos dia após dia. Fique atento as suas emoções, pois elas são sinais do estado da sua saúde mental e da sua satisfação com a vida. O excesso de emoções negativas é um indício de que algo dentro de você não está gostando do modo como você tem vivido.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Filla Brotto

Thaiana é psicóloga e CEO do consultório Psicólogos Berrini. Psicóloga formada em 2008 pela PUC-PR, com pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Thaiana Brotto é registrada no Conselho Regional de Psicologia sob o número 06/106524

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *