Como escolher um namorado: dicas para uma escolha consciente

Categoria dos serviços da psicóloga: terapia de casal, relacionamento conjugal, relacionamentos, casamento, divórcio
Dicas do psicólogo de como escolher um namorado

Escolher um namorado que seja bom para nós pode não ser uma tarefa fácil. Somos perpassados por diversos fatores que acabam influenciando na escolha.

Nossa escolha de um parceiro ou parceira romântica a longo prazo é uma das decisões mais importantes que tomamos em nossas vidas. No entanto, as nossas escolhas são misteriosas e muitas vezes não parecem fazer sentido para nós. Mas, escolher um namorado, deve ser uma escolha consciente, pois uma decisão ruim pode ter graves consequências psicológicas.

O que a biologia nos diz sobre como escolhemos um namorado

Uma visão proeminente da seleção de parceiros, baseada na psicologia evolucionista, é que somos geneticamente preparados para escolher um namorado que dá a melhor oportunidade de propagar e transmitir nossos genes.

A partir desta visão, os machos tendem a procurar mulheres que mostram sinais de boa fertilidade, para maximizar as chances de uma prole saudável. Assim, os homens procuram instintivamente por mulheres que demonstram juventude e atratividade física.

As mulheres, segundo a psicologia evolucionista, procuram parceiros que possam fornecer recursos para maximizar as chances de que as crianças cresçam com mais vantagens. Assim, as mulheres buscam instintivamente homens que demonstrem inteligência, competência e ambição ou possuam riqueza ou poder.

As mulheres também parecem atraídas pela força física, possivelmente como um indicador evolutivo da capacidade de protegê-las e seus filhos.

Mas e a preferência do parceiro em diferentes idades, em várias culturas, de diferentes orientações sexuais, ou entre pessoas que não querem ter filhos com um parceiro? Então, além do fator biológico, é preciso entender que o fator cultural tem um peso muito forte na hora de escolher um namorado.

Mais teorias sobre como escolhemos um namorado

Há quem sugira que um dos motivos que impulsionam a nossa seleção de parceiros é que haja uma espécie de “troca de vantagens”. A partir dessa visão, avaliamos uma mistura de fatores para dimensionar um parceiro em potencial com o objetivo de obter um bom “acordo” baseado em nossos valores e aspirações.

>>> Veja também: O que fazer quando seu parceiro tem planos diferentes dos seus.

Outra teoria é que buscamos parceiros que nos façam sentir melhor sobre nós mesmos e melhorem a forma como somos vistos pelos outros.

Há também uma teoria que sugere que podemos ser atraídos, pelo menos inconscientemente, para um parceiro em potencial que nos lembra nossos pais ou cuidadores. Podemos escolher um namorado que lembre um pai porque é familiar. No entanto, se os pais demonstrarem amor de forma fraca ou inconsistente, poderemos ser atraídos por pessoas que não são boas para nós. Muitas mulheres que sofrem por repetidos relacionamentos tóxicos e abusivos, por exemplo, sofreram algum tipo de violência na infância e passaram a relacionar amor com violência, por exemplo.

Outra teoria é de que escolhemos um parceiro porque estamos, inconscientemente, atraídos para resolver as coisas que não funcionaram tão bem na infância, na esperança de um resultado diferente que nos permita curar nossos passados.

Pontos em comum que influencia a escolha de um namorado

Está procurando por psicóloga em São Paulo para questões de relacionamentos ou terapia de casal? Então conheça as psicólogas no nosso consultório de psicologia, confira o valor da consulta e agende uma consulta diretamente pelo site.

Independentemente da teoria, há vários fatores consistentes que costumam se repetir no momento de escolher um namorado. Confira.

  • Valorizamos pessoas que são semelhantes a nós.

  • Valorizamos a atratividade física e o status.

  • Buscamos pessoas que moram ou trabalham por perto.

  • As mulheres tendem a ter padrões mais altos que os homens.

  • Os homens tendem a preferir mulheres da sua idade até cinco anos mais jovens, enquanto as mulheres tendem a preferir homens da sua idade até cinco anos mais velhos.

Valorizamos especialmente as seguintes características em potenciais parceiros:

  • Bondade;

  • Sinceridade;

  • Mente aberta;

  • Confiabilidade;

  • Consciência;

  • Lealdade;

  • Altruísmo;

  • Aparenta ser um bom pai;

  • Estabilidade emocional;

  • Companheirismo.

Claro que estas são tendências baseadas em pesquisas com grandes grupos e não correspondem necessariamente às preferências de qualquer indivíduo.

>>> Veja também: O que são relacionamentos saudáveis?

A seleção de parceiros também pode ser influenciada pela oferta e demanda. Em locais com uma disparidade significativa no número de parceiros disponíveis do sexo desejado, a seleção de parceiros pode se tornar muito mais seletiva ou levar as pessoas a se contentarem com um parceiro menos desejável do que esperavam.

Circunstâncias individuais, objetivos e fatores psicológicos também influenciam o tempo e a escolha de parceiros. Por exemplo, podemos nos sentir solitários e desesperados, influenciados pela pressão dos colegas ou da família para encontrar um parceiro ou com pressa devido a um “relógio biológico”.

Dicas para escolher um namorado

Embora a biologia, a economia e a psicologia possam influenciar nossas escolhas com ou sem nossa consciência, na maioria das culturas do século XXI, temos uma escolha maior de parceiros do que durante a maior parte da história. Assim, muitas pessoas que procuram parceiros hoje têm a oportunidade de escolher com consciência, aumentando assim as chances de encontrar um bom parceiro.

Uma maneira de fazer isso é calcular o que você faz e o que não deseja em seu parceiro principal. Você pode desenvolver uma lista própria usando o conhecimento já adquirido da sua experiência de relacionamentos passados. Para fazer isso, pense em relacionamentos significativos até o momento e registre as qualidades e características que você menos gostou e mais apreciou.

Sugiro que, além de pensar em preferências como idade, aparência, status e interesses compartilhados, você preste especial atenção ao caráter de uma pessoa, pois isso não tende a mudar ao longo da vida. Para ajudá-los, fizemos uma pequena lista com qualidades que podem ser uma “bandeira vermelha” ou um “sinal verde” na hora de escolher um namorado. Confira!

Sinal vermelho

Sinal verde

Sempre crítico.

Sempre lhe apoia.

Não confiável.

Confiável.

Distante.

Atencioso.

Abusivo.

Amoroso

Intolerante.

Respeita suas diferenças.

Infiel.

Leal.

Sem empatia.

Bom ouvinte.

Desrespeitoso.

Gentil.

Recusa-se a assumir responsabilidade.

Autoconsciente e responsável.

Possessivo.

Desprendido, confia em você.

Autoritário.

Cooperativo.

Desonesto.

Confiável.

Incomunicável.

Transparente e comunicativo.

Frio e duro.

Caloroso e amável.

Rígido ou de mente fechada.

Aberto a novos aprendizados, crescimento e novas experiências

Incapaz de rir ou sentir alegria.

Brincalhão e criativo.

Além disso, estilos similares de comunicação, compatibilidade sexual, desejos semelhantes em relação à paternidade, quantidade de intimidade e proximidade podem fortalecer um relacionamento de longo prazo.

Além disso, como você se sente em torno de um parceiro em potencial lhe diz muito. Se você sente que está pisando em ovos quando lida com ele, ao invés de se sentir leve e solta, tome cuidado. Isso a longo prazo tende a aumentar até chegar a um ponto de extrema opressão e autoanulação. Em um relacionamento saudável nos sentimos leves e temos a liberdade de sermos nós mesmos.

Este não é um manual fechado de como escolher um namorado. Esse texto serve para refletir sobre as suas escolhas com relação a companheiros adequados. Muitas vezes, devido a traumas passados e situações de pressão social somos levados a escolher um namorado que não é adequado. Principalmente, quando repetimos relacionamentos tóxicos e que nos trazem infelicidade. Portanto, buscar um psicólogo é uma boa dica. Ganharemos mais autoconhecimento e assim poderemos ter uma vida mais leve.

Gostou desse texto? Então pode se interessar por esse também: 13 Dicas de como encontrar um namorado.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)
*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.