Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Insegurança nos relacionamentos

Insegurança nos Relacionamentos - Psicologia

Um sentimento comum, que pode abalar qualquer relação é a insegurança. Alguns parceiros cobram demais, outros dão satisfação de menos. Isso se reflete e é resultado do medo de perder o parceiro.

Segundo psicólogos, a insegurança nos relacionamentos é mais frequente do que se imagina, prejudicando a comunicação, a autoestima e a confiança necessárias para relações saudáveis

A insegurança nos relacionamentos é fruto do medo. Medo de não ser suficiente, medo que o parceiro perca o interesse, medo do fracasso, medo de desistir, medo da rejeição, medo do termino da relação.

Sentir medo é normal, mas o medo não pode ser paralisante, nem ocupar mais espaço do que sentimentos saudáveis em um relacionamento. 

A insegurança surge quando há um sentimento de inferioridade. Em relacionamentos conjugais, a insegurança vem acompanhada de ciúme, carência e pensamentos fantasiosos.

O parceiro inseguro passa a idolatrar ou superestimar o cônjuge, sentindo-se indigno de ser amado ou desejado.

>>>Leia também: Relacionamento conjugal.

Se esses medos estão destruindo a relação de vocês, é possível superar e encontrar meios de lidar com essa situação, principalmente quando ela é fruto de nossa imaginação.

Confira agora como lidar com a insegurança nos relacionamentos:

1) Como vencer a insegurança nos relacionamentos

É preciso paciência e bastante amor para lidar com medos e insegurança nos relacionamentos. Para isso o primeiro passo é questionar de onde vem esse sentimento e se o parceiro tem dado motivos para que você se sinta assim.

Entenda quais são seus maiores medos e se eles são reais ou menores do que você os imagina. Muitas vezes encarar o medo e lidar com ele, faz com que a situação seja tangível e contornável. 

2) Desenvolva a autoestima e autoconfiança

Valor Consulta Psicóloga Ingrid






Não quero informar nome ou e-mail





Pare de se cobrar tanto. Acredite em você. Busque desenvolver talentos e se realizar pessoalmente, fortalecendo o seu autoconhecimento e a sua autoestima. Aprenda mais sobre suas limitações e o quanto você se preocupa com elas.

Ter autoconfiança vem de um desejo íntimo por autoconhecimento. Conhecer seus pontos fortes e o que pode ser melhorado irá trazer mais segurança para lidar e aceitar imperfeições.

Lembre-se, ninguém consegue ser perfeito o tempo todo, nem poderia ser assim. 

3) Evite comparações

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Reconheça seus atributos sem se comparar com outras pessoas. Entenda que cada ser é único e só podemos ser bons, ao ser autênticos.

A autoconfiança vem do que é pessoal e intransferível. Busque melhorar o que pode ser melhorado, sem se cobrar demais.

Você é único e somente ao enaltecer as características de sua personalidade irá alcançar a plenitude.

Busque cuidar da sua saúde mental e do corpo sem obsessão. A aparência é importante para que você se sinta bem com você mesmo e não para agradar os outros. 

4) Conheça-se a si mesmo

Os Psicólogos

Conheça os psicólogos do nosso consultório, área de atuação, abordagens e especializações.

EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Busque conhecer a você mesmo. Conheça seus pontos fortes e pontos fracos e aprenda a lidar com eles.

Você não é o que os outros pensam de vocês, nem pode ser o que esperam de você.

Somente se conhecendo bem será possível manter-se bem e atraente para qualquer parceiro. É o jeito como você ri, e não a forma de sua boca que atrai o outro. 

5) Busque ajuda profissional

Buscar a ajuda de um psicólogo pode ser fundamental para se aceitar e se ver com qualidades e defeitos como qualquer outra pessoa e também ajuda a eliminar a insegurança nos relacionamentos.

Muitas vezes, pessoas inseguras têm um histórico de traumas nos relacionamentos ou passaram por frustrações que marcaram sua vida.

A saúde psicológica vem de lidar com esses medos e inseguranças, além de superar rejeições do passado.

Um psicólogo poderá ajudar nesse processo, facilitando o autoconhecimento. 

Lembre-se de se amar e não submeter-se aos outros para obter aceitação. Ninguém é igual a ninguém.

Às vezes não estamos com um parceiro ideal para nós e nos forçamos a obter o aval dele para se sentir melhor. Evite e não aceite pressões morais para manter-se em relacionamentos falidos.

Guia Completo de Como Selecionar seu Psicólogo

Se você é daqueles que gosta de entender tudo nos mínimos detalhes, então esse guia é para você! No guia completo você vai conhecer todo o processo desde onde procurar e selecionar um psicólogo, como é a primeira consulta, como se preparar para a terapia, como é o processo terapêutico e até como avaliar os resultados.

COMO SELECIONAR O SEU PSICÓLOGO

Saiba que sempre haverá alguém que irá aceitá-lo(a) e amá-lo(a) como você é, consciente do que pode ser melhorado e de suas principais virtudes. Relacionamentos abusivos deixam marcas profundas e devem ser evitados a todo o custo. 

Se seu parceiro tem atitudes que a deixam insegura, pense com seriedade sobre a possibilidade de terminar o relacionamento e buscar ser feliz.

Ninguém precisa viver sobre pressão, e muitas vezes nossa insegurança vem da falta de consideração da pessoa que se relaciona com a gente, mas ela nos faz acreditar que o problema somos nós. 

Esse artigo foi útil? Você também pode se interessar por este aqui: Sou uma pessoa difícil e não consigo manter um relacionamento.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • 20 sinais de que você está em um relacionamento abusivo

    Sinais de que você está em um relacionamento abusivo
    Relacionamento abusivo pode ser muito difícil de identificar. Confira esses 20 sinais separados por um psicólogo que indicam que seu relacionamento é abusivo
  • Amor Patológico

    Amor Patológico
    Você sabe se o seu amor é patológico? Então leia esse interessante texto da psicóloga da Clínica de Psicologia Berrini - Zona Sul de São Paulo SP.
  • Casar é um exercício de paciência

    Casar é um exercício de paciência
    Casa é um exercício de paciência, mas vale muito a pena. São muitos os benefícios. Confira o texto sobre a perspectiva de um psicólogo de São Paulo

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana Filla Brotto

CRP 06/106524 – 6ª Região

FORMAÇÃO

Psicóloga formada em 2008 pela PUC-PR, com pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.