Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Juventude: jovens e sua “cultura do prazer”

Juventude

Segundo os psicólogos, de coadjuvantes no passado, os jovens passaram a ter o papel principal em filmes, documentários, livros, nas artes e na música. A mídia reforça a imagem de que ser jovem é ter o poder da liberdade, da beleza…

Guia Completo de Como Selecionar seu Psicólogo

Se você é daqueles que gosta de entender tudo nos mínimos detalhes, então esse guia é para você! No guia completo você vai conhecer todo o processo desde onde procurar e selecionar um psicólogo, como é a primeira consulta, como se preparar para a terapia, como é o processo terapêutico e até como avaliar os resultados.

COMO SELECIONAR O SEU PSICÓLOGO

Este “empoderamento” vem se acentuando e, não seria exagero dizer que a noção de juventude do senso comum pode ser designada como um estado de espírito e/ou como um valor positivo em si mesmo, representando qualidades como disposição e inovação.

Ser jovem virou clichê publicitário; slogan para uma vida prazerosa. Não é à toa, então, que todos querem ser ou pelo menos parecer parte desta categoria.

A transformação dos jovens em fatia privilegiada do mercado de consumo aconteceu nos EUA após a 2ª Guerra Mundial e foi rapidamente incorporada ao resto do mundo capitalista.

A filosofia do consumo favoreceu uma cultura juvenil altamente hedonista e individualista, sem espaço para a expressão do sofrimento e culpa, já que o discurso que vem vigorando é o prazer a todo o momento e a qualquer preço, sobretudo no que diz respeito às sensações de adrenalina, drogadição e orgasmo.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

A imagem do adolescente desajeitado, antissocial e mal cuidado do passado, se transformou em modelo de sensualidade para todas as faixas etárias. Com isto, a juventude não é mais encarada na sua negatividade, no qual o jovem é um “vir a ser”. A posição marginalizada de outrora deu lugar ao convite que a sociedade atual faz à juventude eterna.

E é justamente o que tem sido verificado nos países ocidentais: o prolongamento juvenil, marcado por três aspectos interligados: a extensão da vida estudantil, o adiamento da entrada no mercado de trabalho e a permanência prolongada na casa dos pais.

Estes aspectos obrigam o jovem a viver cada vez mais tempo dependente da família, mas gozando da liberdade dos adultos.

Diante da aparente felicidade que a cultura jovem faz questão de exibir, sobretudo nas redes sociais, pode parecer contraditório constatar nos consultórios de psicologia o aumento da depressão e ansiedade juvenil; a angústia ao tentar corresponder às expectativas da pós-modernidade; a ansiedade ao se reafirmarem como a principal fonte de transformação social; a paradoxal solidão, quando afirmam terem mil amigos; o pânico ao entrar no mundo adulto sem modelos identificatórios sólidos, já que seus pais preferem se comportar como amigos, compartilhando das transgressões e dos estilos de vida dos filhos.

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Letícia






Não quero informar nome ou e-mail





Como os jovens “necessitam” ostentar a vida perfeita, o sofrimento é vivenciado às escondidas.

Muitos não se sentem confortáveis em dividir suas aflições e acreditam não precisar de ajuda, pois seguem a ideologia atual: sofrer é coisa de idiota, portanto quem é esperto não sofre.

Mas como os considerados espertinhos “burlam” algo tão inerente à condição humana como o sofrimento?

Frequentemente através de remédios controlados, drogas ilícitas, álcool, vandalismo, violência, abusos sexuais e por aí vai.

O jovem que busca a ajuda de um psicólogo e tem coragem para trabalhar os próprios dilemas consegue fazer uma retificação subjetiva, ou seja, o sujeito passa a se deparar com questões que escapam à sua consciência, mas que também o determinam.

Desta forma, com o auxílio da psicoterapia, ele se reposiciona diante das suas queixas, das suas relações e, sobretudo, diante de seu discurso.

O caminho para a vida adulta passará pela responsabilização das próprias escolhas, já que esta caminhada não depende apenas da passagem por determinadas etapas de vida, depende principalmente do desejo e da identificação do jovem enquanto um adulto.

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Filla Brotto

Thaiana é psicóloga e CEO do consultório Psicólogos Berrini. Psicóloga formada em 2008 pela PUC-PR, com pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Thaiana Brotto é registrada no Conselho Regional de Psicologia sob o número 06/106524

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *