Você não é perfeito!

Categoria dos serviços da psicóloga: serviços variados de psicologia
Você não é perfeito

Sabe aquele velho conselho “o importante é competir”? Parece estar sendo levado muito a sério ultimamente. Vivemos num intenso clima de competição em todas as áreas de nossa vida, seja com colegas de trabalho, casais de amigos, parentes ou, inclusive, com nós mesmos. Quem é mais bem-sucedido? Quem ganha o maior salário? Quem está mais em forma? Qual pessoa tem mais seguidores nas redes sociais? Tudo é motivo para competição e, como consequência, a pressão e o estresse só aumentam. O ritmo frenético das nossas vidas e a busca em sermos melhores em tudo têm nos feito esquecer outra frase igualmente importante “saiba que você não é perfeito”! Para lidar com tudo isso, a ajuda de um psicólogo é de extrema importância! Ele saberá te conduzir a um caminho de mais tolerância e empatia consigo mesmo.

Competição no ambiente corporativo

A competição acirrada acontece, principalmente, no ambiente de trabalho. A cada dia surgem novas tecnologias a serem aprendidas e novos desafios a serem superados. Essa pressão gerada pela obrigação de estarmos sempre bem capacitados e de termos um diferencial em relação aos demais colegas tem levado muitos profissionais a um nível elevado de estresse.

Está procurando por psicóloga em São Paulo para questões variadas sobre psicologia? Então conheça as psicólogas no nosso consultório de psicologia, confira o valor da consulta e agende uma consulta diretamente pelo site.

Diferenças salariais, disputa por nomeações para cargos importantes, alto índice de desemprego e mercado saturado são uma combinação bombástica para estimular um clima de competição nada saudável, que gera descontrole emocional e faz surgir os sentimentos derrotistas, de angústia e insegurança consigo próprio. Vender externamente uma imagem confiante, de liderança e ousadia, e sofrer internamente com medos e inseguranças são, infelizmente, as faces da nova moda do mundo corporativo.

Âmbito familiar e social

Essa competitividade também é comum no âmbito familiar e social. Nas famílias existe competição entre pais pela educação dos filhos, irmão querendo ser melhor que irmão, tornando as relações – que deveriam ser a base para o bem-estar emocional e psicológico – uma intensa batalha para ver quem é o mais capacitado, o “queridinho”, o popular.

Desde muito cedo, alguns pais estimulam as crianças à competição, fazendo comparações entre irmãos, primos e coleguinhas de escola. A cooperação é substituída pela competição já na infância por meio de pequenos desafios, como saber quem aprendeu a ler primeiro ou tirou as melhores notas na escola.

Os relacionamentos sociais deixaram de ser uma oportunidade de crescimento e se tornaram um meio fértil para sentimentos de inveja e disputa. Toda esta competição afeta o indivíduo psicologicamente, levando-o a um processo de baixa autoestima, insegurança e descrédito quanto à sua capacidade.

Você não é perfeito!

No decorrer da vida, os desafios tornam-se maiores e, dependendo de como o indivíduo lida internamente com a questão, poderá transformá-los em embates. Estas situações causam sofrimento e frustração, difíceis de superar.

Barreiras emocionais são criadas por algumas pessoas, impondo limites e estabelecendo objetivos praticamente impossíveis de serem alcançados.

O importante é que cada um procure fazer o seu melhor, cultive o senso crítico e avalie os seus limites através de uma autoanálise, aproveitando melhor as oportunidades que lhe aparecem.

Não seja vítima da competitividade. Se a meta é demasiadamente alta, reduza-a e conduza o jogo à sua maneira e conforme os seus limites. Procure a sua felicidade e não a perfeição. Não viva de acordo com as expectativas dos outros, mas com a sua realidade e capacidade.

Apoio de um psicólogo

Se a competição já te causou um estresse elevado, se você está com a autoestima muito baixa e não tem mais forças para reagir no seu dia a dia, a ajuda de um psicólogo pode ser muito bem-vinda para aliviar o peso que você está carregando.

O simples diálogo com o psicólogo a respeito da situação que vem enfrentando poderá trazer alívio e indicar as ferramentas para lidar melhor com a situação.

Neste contexto, a terapia pode fortalecer a autoestima e gerar conhecimento próprio, promovendo habilidades para um melhor controle emocional e psicológico visando mais qualidade de vida e bem-estar.

Lembre-se que a vida é uma trajetória e não uma competição acirrada. Tenha planos e metas, sim, mas que entre elas estejam a sua satisfação pessoal e a sua saúde mental.

Outros textos que podem lhe interessar

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.