Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como lidar com a traição?

Categoria dos serviços da psicóloga: terapia de casal, relacionamento conjugal, relacionamentos, casamento, divórcio
Lidar com a traição

A descoberta da traição é um momento muito doloroso e complicado. Saber que o pacto de fidelidade foi quebrado gera angústia, raiva, culpa e desamparo.

No entanto, a vida precisa continuar! Como lidar com a traição? Um psicólogo pode ajudar muito nesse momento de dúvidas e tristeza.

É muito comum que o primeiro sentimento que venha à cabeça de quem foi traído seja a culpa.

A pessoa começa a sentir que sua companhia não era boa o suficiente, a autoestima despenca e pensa o que poderia ter feito diferente para evitar a traição.

Algumas vezes, inclusive, o parceiro que traiu também ajuda a formar esse sentimento, em discussões onde culpabiliza o outro pelos seus próprios erros.

É preciso entender que, mesmo que quem tenha sido traído tenha falhado em algum ponto no relacionamento, foi o caráter do parceiro que levou à traição. Esse é o primeiro passo para superar essa dor.

A decepção é outro sentimento que chega nesse momento. Afinal, percebe-se que não se conhecia tão bem quem estava se relacionando. Com isso, a pessoa traída pode desenvolver sintomas de ansiedade e até mesmo de depressão.

Ninguém espera que a pessoa que você confia é justamente quem vai te causar tanta tristeza, é algo tão inesperado, improvável, que é impossível não se decepcionar.

Seguindo em frente depois da traição

Valor Consulta Psicóloga Ingrid






Não quero informar nome ou e-mail





Passado o período de luto pelo acontecido, em que a pessoa pode preferir ficar mais recolhida, sozinha e em casa, é preciso retomar a vida normal.

O medo de nunca mais ter um bom relacionamento e a dificuldade de depositar confiança novamente em outra pessoa fazem parte do processo. Algumas vezes, as pessoas chegam a pensar que nunca serão felizes novamente.

Depois disso, existem dois caminhos. Seguir em frente longe do traidor ou perdoar. Qual é o caminho mais recomendado para cada situação?

Vale a pena perdoar?

Se depois de descobrir a traição, o casal dialogou, expôs seus sentimentos, arrependimentos, vontades e percebeu que ainda possui vontade de ficar junto, o perdão pode acontecer.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Para isso dar certo, é preciso que a sinceridade e a honestidade passem a fazer parte da vida dos dois.

A Terapia de Casal tem foco na nas dificuldades específicas que ambos estão vivendo e pode ajudá-los a restabelecer a confiança e a harmonia.

O papel do psicólogo é auxiliar os parceiros a identificarem os pontos de conflito do relacionamento e a determinar quais são as mudanças que precisam ser feitas.

Recomeçando sozinho

Se a traição foi apenas a “ponta do iceberg” e o relacionamento já vinha com vários problemas, falta de cumplicidade e desentendimentos, o melhor é terminar de vez.

Os Psicólogos

Conheça os psicólogos do nosso consultório, área de atuação, abordagens e especializações.

EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Voltar a ser solteiro tem muitas vantagens. Você pode aproveitar para fazer tudo que não fez quando estava em um relacionamento, como sair mais com os amigos, iniciar um projeto individual, viajar ou até mudar-se de cidade ou país.

Ocupar a cabeça com planos é muito bom e ajuda a desviar os pensamentos sobre o término.

Também é muito importante recuperar a autoestima e se redescobrir como indivíduo.

Através da terapia, o psicólogo pode ajudar nesses processos, auxiliando na superação da dor do término, ajudando a determinar seus planos e vontades para o futuro e fazendo você se enxergar novamente como alguém que pode, e deve, ser amado e respeitado.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Autor: Thaiana Filla Brotto

CRP 06/106524 – 6ª Região

FORMAÇÃO

Psicóloga formada em 2008 pela PUC-PR, com pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.