Newsletter Gratuita
Assine Aqui

13 sinais que você está muito estressado

13 sinais que você está muito estressado

Você sabe reconhecer os sinais de estresse?

Eles podem causar confusão por serem muito diversos e, às vezes, não parecerem estar relacionados ao estresse. Isso porque temos sintomas físicos, emocionais e psicológicos quando estamos estressados. Quando eles não são reconhecidos prontamente, ou são ignorados, podem até mesmo dar origem a doenças.

De acordo com psicólogos, o estresse crônico também agrava problemas já existentes, incentiva os maus hábitos e torna as pessoas mais suscetíveis ao desenvolvimento de vícios. Elas podem ingerir um volume maior de álcool ou fazer uso de substâncias na tentativa de responder ao mal-estar com o prazer imediato. Esse imediatismo é prejudicial à saúde.

O que é estresse?

Valor Consulta Psicóloga Vânia






Não quero informar nome ou e-mail





O estresse é a reação do corpo às mudanças que requerem uma resposta imediata ou adaptação a uma nova realidade. Ele pode ser experienciado através de fatores externos (trabalho, acidente de trânsito, impasse no relacionamento) ou ser estimulado por seus próprios pensamentos.

Já percebeu que alguns devaneios causam reações emocionais fortes? Então, somente o ato de pensar em alguma pendência ou cenário futuro pode deixá-lo estressado.

Situações consideradas positivas, como uma promoção ou o nascimento de um filho, também podem causar estresse. A necessidade de lidar com novas obrigações e modificar o seu comportamento para corresponder ao novo ambiente são bem estressantes!

Em outras palavras, encontramos o estresse em diversas ocasiões comuns da vida. Não é possível escapar dele, mas é possível aprender a controlá-lo e a evitá-lo (até certo ponto) no dia a dia. 

Sinais de estresse

Guia Completo de Como Selecionar seu Psicólogo

Se você é daqueles que gosta de entender tudo nos mínimos detalhes, então esse guia é para você! No guia completo você vai conhecer todo o processo desde onde procurar e selecionar um psicólogo, como é a primeira consulta, como se preparar para a terapia, como é o processo terapêutico e até como avaliar os resultados.

COMO SELECIONAR O SEU PSICÓLOGO

Embora o corpo humano saiba administrar o estresse, o excesso dele pode sobrecarregar tanto o físico quanto o emocional. O resultado dessa sobrecarga é encontrado praticamente em todo lugar. Você provavelmente já precisou lidar com pessoas estressadas no trabalho, em casa, na rua, em eventos sociais ou familiares e até mesmo em festas.

A resposta ao estresse, também conhecida como o instinto de “lutar ou fugir” diante de ameaças, deveria ser somente ativada em ocasiões realmente ruins. No entanto, ela pode se tornar uma constante quando passamos por um período de estresse prolongado. É assim que as pessoas chegam ao esgotamento mental, físico e ocupacional.

Para evitar esse cenário nada saudável, é preciso aprender a reconhecer os sinais de estresse e levá-los a sério. Não raro as pessoas ignoram os alertas do corpo e da mente. Motivadas pelo orgulho, querem continuar trabalhando sem pausa ou se esforçando ao máximo para superar um desafio.

Descansar não é errado.

Os seres humanos precisam de períodos de relaxamento (de preferência, períodos consistentes) em suas rotinas diárias para evitar a sobrecarga de estresse e o surgimento de doenças. O orgulho exacerbado é um empecilho para a saúde mental e física.

Em seguida, confira os sinais de estresse mais comuns. Se você se identificou com a maioria ou com todos eles, significa que está mesmo muito estressado.

1.     Enxaqueca

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

O estresse é um dos principais gatilhos da enxaqueca. Ela é diferente da dor de cabeça comum por conta de sua intensidade e duração. Uma crise de enxaqueca pode durar entre quatro horas a três dias.

Também pode ser acompanhada de náusea, tonturas ou desmaios. Se você tem notado um aumento de episódios de dor de cabeça nas últimas semanas ou dias, é provável que esteja sofrendo de enxaqueca.  

2.     Dores musculares inexplicáveis

Um dos sinais de estresse mais comuns é a dor nas costas. Isso acontece porque o cortisol, o hormônio do estresse, é liberado em grandes quantidades quando estamos estressados.

Um dos seus efeitos colaterais é o aumento da percepção da dor. Assim, parece que você está sentindo mais dor que o habitual, mas só está mais atento à sua manifestação. 

3.     Tensão nos ombros, pescoço e rosto

Como resposta aos desconfortos externos, causados pelo ambiente, os músculos ficam tensionados. Os ombros, pescoço e rosto, especialmente na região das têmporas, são as áreas que costumam ficar com mais tensão devido ao estresse. Pacientes de fibromialgia, inclusive, têm dores mais intensas em períodos estressantes.

4.     Distúrbios do sono

A qualidade do sono é um dos indicativos mais notáveis da saúde mental e física. Se você tem dormido mal, acordando diversas vezes no meio da noite, ou não tem conseguido dormir, o estresse pode estar perturbando as suas noites. Além da insônia, outros distúrbios do sono causados por estresse são bruxismo, sonambulismo (mais comum em crianças) e síndrome das pernas inquietas.

5.     Palpitações constantes

Os seus batimentos cardíacos têm acelerado em momentos de repouso? Você tem tido palpitações durante o dia, especialmente após grandes emoções?

A preocupação com a saúde do coração acaba levando as pessoas para o hospital com muita frequência. Após a realização de exames, descobrem que o órgão está em perfeitas condições e o causador do desconforto é, na verdade, o estresse. Antes de entrar em pânico por conta das palpitações constantes, consulte um médico para descobrir se este é o seu caso.

6.     Problemas digestivos

A gastrite nervosa é o problema digestivo mais predominante em pessoas estressadas. Ela dificulta a ingestão de alimentos e ocasiona desconfortos estomacais diários, podendo impedi-lo de trabalhar, sair e concluir os seus afazeres diários. 

7.     Alergias de pele

As alergias de pele, ou dermatites, acontecem porque as células de defesa do corpo pensam estar se preparando para responder a uma ameaça. Diversos órgãos sofrem alterações quando o organismo entra nesse estado, inclusive a pele. As vermelhidões podem aparecer tanto logo após um momento estressante quanto horas depois, quando você já está calmo.

8.     Sudorese

A sudorese é a condição responsável pelo suor excessivo nas mãos, pés, axilas, rosto e outras regiões do corpo. Ela pode ser facilmente desencadeada em ocasiões de estresse.  

9.     Tremores no corpo

Os tremores nas mãos e nos braços podem ter causa emocional e não física. Esses movimentos involuntários e rítmicos costumam preocupar muito as pessoas estressadas, principalmente quando se manifestam durante o repouso ou o sono. É válido consultar um médico para eliminar possíveis patologias físicas.

10.   Ganho ou perda de peso

O estresse altera hábitos alimentares. Assim, você pode ganhar ou perder peso em um curto período. O apetite tende a diminuir quando sintomas como náusea, indigestão e diarreia roubam o prazer de se alimentar. Já o seu aumento ocorre em virtude da liberação exagerada do cortisol no corpo. Além de elevar a fome, o hormônio reduz o metabolismo.  

11.   Disfunções sexuais

Quando aparecem, as disfunções sexuais podem causar constrangimento tanto para os homens quanto para as mulheres. Ainda assim, não é necessário reagir com desespero ou vergonha. Em períodos estressantes, é comum disfunções sexuais se manifestarem ocasionalmente.

A preocupação deve surgir somente quando elas começarem a atrapalhar a vida sexual do casal. Nesse caso, é indispensável consultar um médico para solucionar o problema. 

12.   Cansaço excessivo

Você tem ficado muito cansado ultimamente? Não tem energia para fazer coisas simples? Levantar da cama requer um esforço monumental? Pode ser estresse! A letargia diurna pode não ser notada com facilidade pela pessoa que a tem, pois rapidamente torna-se “normal”. Você pode pensar que é preguiçoso quando, na verdade, está indisposto física e emocionalmente por causa do estresse.

13.   Sensação de “cabeça anuviada”

 

O estresse pode deixá-lo com “dormência” emocional. Você passa a ter dificuldades para sentir e expressar emoções e, ainda, fica desanimado com a vida sem motivo. A consequência mais grave desse sintoma é a depressão.

Estou muito estressado e agora?

Os Psicólogos

Conheça os psicólogos do nosso consultório, área de atuação, abordagens e especializações.

EQUIPE DE PSICÓLOGOS

São muitos os remédios para o estresse. Você pode iniciar um acompanhamento psicológico na terapia para descobrir quais fatores estressores estão afetando a sua qualidade de vida, além de se fortalecer para encará-los. Já se estiver sofrendo com sintomas físicos, consulte um médico para saber como aliviá-los. 

Você também pode descansar. Simplesmente descansar. Tirar férias atrasadas, viajar nos finais de semana e feriados, agendar uma massagem em um SPA ou modificar o foco da sua atenção das obrigações para o seu bem-estar. Assim, você se tornará mais eficiente em encontrar maneiras de suavizar a carga de estresse recebida diariamente.

Algumas ações que você pode tomar para diminuir o estresse no dia a dia são:

  • Praticar atividades físicas regularmente;
  • Ingerir alimentos saudáveis;
  • Seguir uma rotina noturna;
  • Despertar com tranquilidade e alegria;
  • Se divertir com pessoas queridas;
  • Adotar um bichinho de estimação;
  • Ter novas experiências;
  • Alimentar o seu intelectual com cursos e aprendizados novos;
  • Descansar quando o corpo pedir, sem pensar nas próximas obrigações;
  • Ler;
  • Ter um hobby; e
  • Praticar o autocuidado.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Psicóloga Thaiana

CRP 106524/06. A psicóloga é CEO do consultório Psicólogos Berrini. Psicóloga formada em 2008 pela PUC-PR, com pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *