Newsletter Gratuita
Assine Aqui

Como não alimentar pensamentos negativos

Como não alimentar pensamentos negativos

Você sabia que a qualidade dos seus pensamentos interfere em muitas áreas da sua vida, além de afetar diretamente a sua saúde?

Alguns indivíduos desacreditam no poder contido nos pensamentos. Embora algumas crenças e expressões populares, como “você atrai o que você pensa”, não tenham nenhum embasamento científico, elas possuem um fundo de verdade.

Se você nutre pensamentos positivos, tem disposição, alegria e propósito para correr atrás dos seus objetivos. As suas probabilidades de vencer na vida são muito maiores assim, concorda? Já quando você pensa negativamente, se autossabota e não tem vontade de fazer nada, reduzindo as suas chances de conseguir o que quer.

Então, no fim das contas, você atrai mesmo o que você pensa! Só não faz isso de uma forma mágica. É através dos seus próprios esforços e méritos.

A qualidade dos nossos pensamentos também determina o nosso grau de satisfação com a vida. Eles podem indicar que você inconscientemente deseja terminar o seu relacionamento, mudar de profissão ou morar em outra cidade. Por isso, é importante prestar atenção no que você anda pensando.

Como os pensamentos negativos nos afetam

Pensamentos negativos recorrentes têm uma grande capacidade de afetar a nossa saúde mental e física. Por que isso acontece? Bom, esses devaneios incitam uma descarga intensa de emoções desagradáveis no organismo.

Essas, por sua vez, causam estresse crônico e ansiedade, os quais perturbam o equilíbrio hormonal do corpo, combatem os neurotransmissores da felicidade (serotonina, endorfina) e desencadeiam enfermidades.

A longo prazo, os pensamentos negativos se transformam em depressão, ansiedade generalizada, síndrome do pânico e patologias físicas, como hipertensão, doenças cardiovasculares e distúrbios digestivos.

Mas, se eles são tão ruins, por que as pessoas tendem a alimentá-los?

Como nós, como seres humanos, somos programados para nos defendermos contra ameaças. Assim, a nossa tendência é priorizar o que é negativo acima do positivo para não sermos pegos de surpresa. Embora esse comportamento seja um mecanismo de defesa, tendemos a nos apegar a ele e, às vezes, abraçar a negatividade.

Pessoas que pensam negativo normalmente passam horas ruminando as mesmas pequenas frustrações, oriundas ou não de acontecimentos reais ou atuais. Muitas vezes, elas também voltam no tempo e escolhem uma lembrança negativa para remoer. 

Assim, perdem oportunidades de pensar positivamente, dar risada, apreciar as coisas boas de cada situação e agradecer. Em outras palavras, deixam de aproveitar as suas vidas para pensar em fatores que lhes deixam tristes, desanimadas, irritadas e estressadas.

Características do modo de pensar negativo

Será que você passa muito tempo pensando negativamente? Por vezes, esse “viés de negatividade” é tão cômodo que você não tem ideia de que, na verdade, está o alimentando. Em seguida, veja cinco exemplos de modos de pensar negativos.

Valor consulta atendimento online e presencial psicóloga Vânia






Não quero informar nome ou e-mail





  • Exemplo 01: Pessoas que pensam negativo se apegam demasiadamente aos momentos ruins vividos no dia a dia. Desse modo, uma falha profissional cometida em um dia corrido se transforma em uma catástrofe. Elas ficam remoendo o ocorrido, se perguntando o que poderiam ter feito de diferente, lembrando-se do sermão do chefe e dos colegas de trabalho, sem, de fato, aprender nada com a situação.
  • Exemplo 02: Do mesmo modo, essas pessoas pegam um erro cometido há muitos anos e ficam pensando nele durante dias, martelando coisas ruins em suas cabeças. “Você foi estúpido”, “Você foi burro” e “Você não pensou direito e deu no que deu” são alguns desses devaneios.
  • Exemplo 03: Um cenário bastante comum é a conversa interior autodepreciativa. Sempre que encontra uma frustração, a pessoa começa a pensar mal de si mesma, punindo-se por não ser perfeita. Ela também chega ao extremo de não pensar positivamente sobre o seu futuro por não conseguir alcançar o seu “eu” ideal.
  • Exemplo 04: “Eu não sou bom nisso, então eu deveria evitar determinadas situações e oportunidades” é um tipo de pensamento negativo autossabotador. A pessoa que não enxerga as suas qualidades possui uma lista de coisas que não pode ou não consegue fazer. Ela não chega sequer a tentar por não acreditar em si mesma.
  • Exemplo 05: Os pensamentos negativos também podem ser influenciados pelo pânico. Um indivíduo que não vai muito bem na escola pode chegar a pensar que nunca entrará em uma boa universidade, então pra que tentar? Em vez de buscar soluções para o seu problema, ele se desespera e se torna parte dele.

Se identificou com alguns desses exemplos?

Como afastar pensamentos negativos

Pensamentos e emoções positivas nos ajudam a crescer emocionalmente e agir com resiliência perante acontecimentos pouco agradáveis. Cultivá-los é mais benéfico para a nossa saúde mental, carreira profissional, relações afetivas e desenvolvimento pessoal.

Ser uma pessoa positiva e resiliente não significa, no entanto, nunca se deixar abater por circunstâncias, emoções e pensamentos ruins. É impossível viver livre de preocupações e tristezas. Ter resiliência e positividade não afasta o sofrimento.

Ser uma pessoa positiva e resiliente quer dizer enfrentar desafios com uma postura assertiva e saber retornar a um estado emocional de contentamento assim que os fatores estressores desaparecerem. Para isso, porém, é necessário combater os pensamentos negativos que minam a autoestima e o bem-estar.

1.    Busque autoconhecimento

Os pensamentos negativos têm outra característica bastante desagradável: eles invadem a nossa mente. Uma vez que permitimos a sua estadia, eles se alastram e dificilmente são dissipados.

Quer receber mais conteúdos como esse?

Deixe seu e-mail abaixo e receba semanalmente conteúdos gratuitos
Politica de Privacidade
Não se preocupe, não fazemos spam.

Para tomar consciência disso, você precisa trabalhar o seu autoconhecimento. A partir do momento que você se dedica a se “estudar”, descobre os seus gatilhos, aprende a identificar quando as suas emoções estão tomando conta e consegue testar estratégias para manter o bom humor independente da situação.

A autopercepção é uma habilidade desenvolvida com o tempo e a prática diante de situações reais. Dia após dia, você adquirirá uma percepção mais precisa de seus estados emocionais e como eles se manifestam. Com esse conhecimento, poderá desenvolver estratégias para administrar as suas emoções.

2.    Ignore o seu crítico interno

Ignore aquele crítico interno inconveniente que só quer tirar a sua paz e colocá-lo para baixo. Quando uma acusação interna aparecer na sua mente, como “Viu? Você é burro demais para fazer isso!” ou “Você é incapaz de fazer X coisa!”, ignore essa voz desagradável e faça mesmo assim.

Outra saída para esse problema é mudar o tom desse seu crítico interno. Em vez de críticas e acusações, transforme o que ele diz em elogios e incentivos. Aos poucos, a sua percepção sobre si mesmo também irá melhorar.

3.    Lembre-se que pensamentos nem sempre correspondem à realidade

Os Psicólogos

Conheça os psicólogos do nosso consultório, área de atuação, abordagens e especializações.

EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Os seus pensamentos sobre você, as pessoas, as situações e o mundo não condizem necessariamente com a realidade. Eles podem ser simplesmente desabafos, interpretações ou equívocos. Cabe você constatar a veracidade das suas próprias ponderações no dia a dia.

É muito comum as pessoas distorcerem coisas em suas cabeças quando não estão bem consigo mesmas. Quando isso acontece, a tendência é puxar para o negativo, criando realidades trágicas e inexistentes. Em nenhum momento elas pensam estar exagerando. Na verdade, acreditam estar sempre certas.

Para provar que a realidade pode ser outra, peça a opinião de amigos, familiares e desconhecidos sobre você ou um determinado acontecimento.

4.    Mude o foco

Quando pensamentos negativos surgirem abruptamente em sua mente, mude o seu foco. Pense em memórias calorosas, ouça uma música que ama, assista a um filme divertido, chame um amigo para conversar, faça uma caminhada, leia um material enriquecedor ou um livro, ou faça qualquer coisa que você goste. Com o tempo, os pensamentos negativos vão perder a força e desaparecer.

Esta é uma dica importante, pois muitos ainda acreditam que devem evitar a negatividade ao máximo. Como dito anteriormente, é impossível fugir dela. O que se pode fazer, de fato, é modificar suas reações perante fatores estressores e ruins. 

5.    Desabafe com alguém

Guia Completo de Como Selecionar seu Psicólogo

Se você é daqueles que gosta de entender tudo nos mínimos detalhes, então esse guia é para você! No guia completo você vai conhecer todo o processo desde onde procurar e selecionar um psicólogo, como é a primeira consulta, como se preparar para a terapia, como é o processo terapêutico e até como avaliar os resultados.

COMO SELECIONAR O SEU PSICÓLOGO

Converse com uma pessoa querida sobre o que você está sentindo. O acúmulo de sentimentos desagradáveis é prejudicial para a saúde. Em algum momento, quando você menos esperar, o seu corpo e a sua mente precisarão extravasá-los.

Isso geralmente acontece através do esgotamento psicológico, estafa mental, colapso nervoso, crise de ansiedade, acesso de raiva, crise de choro e dores musculares, enxaquecas constantes.

Portanto, coloque tudo o que incomoda você para fora de modo saudável. De preferência, faça isso com alguém de confiança que não irá espalhar fofocas ou fazer chacota com as suas dores, ou com um psicólogo. A terapia é uma forma extremamente eficiente de lidar com pensamentos negativos e prevenir doenças psicológicas, especialmente quando esses devaneios não querem deixar a sua mente.

Quem leu esse texto também se interessou por:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Sobre Thaiana Filla Brotto

Thaiana é psicóloga e CEO do consultório Psicólogos Berrini. Psicóloga formada em 2008 pela PUC-PR, com pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC. Thaiana Brotto é registrada no Conselho Regional de Psicologia sob o número 06/106524

2 comentários em “Como não alimentar pensamentos negativos

  1. Boa noite!!!
    Que delícia receber sua mensagem
    Isso transforma meu dia numa intensidade indescritível!
    Muito obrigada ❤️ OBS tenhao pensamento imaginario me atrapalha preciso de ajuda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *