Como evitar a autossabotagem no trabalho

Como evitar a autossabotagem no trabalho

Entenda como a autossabotagem no trabalho pode prejudicar as pessoas através de 5 dicas.

Todas as pessoas possuem rotinas e temperamentos diferentes. Alguns podem ser enquadrados em determinados tipos de padrões comportamentais, outros, são classificados pela psicologia como “desviantes” e prejudiciais. E no trabalho, um desses comportamentos que prejudicam muito os profissionais é a autossabotagem.

Tem dias que não sentimos vontade de ir pegar o trânsito, chuva, calor, falar com pessoas, estar mau humorado e chegar cedo no trabalho. Isso é normal! Noites mal dormidas, problemas familiares entre outros motivos são suficientes para tirar nossa tranquilidade.

No entanto, quando determinadas repetições ocorrem no cotidiano, devemos puxar o alerta e passar a observar nossas atitudes. Essas ocorrências de autossabotagem no trabalho podem virar grandes problemas no futuro. E é exatamente isso que vamos explicar neste texto.

O que é a autossabotagem no trabalho?

A autossabotagem é definida pelos psicólogos como um tipo de doença que afeta muitas pessoas, impedindo, por exemplo, que elas conquistem uma nova carreira ou mantenham uma dieta. Essa autossabotagem nem sempre é facilmente percebível.

A autossabotagem no trabalho normalmente se manifesta em ciclos repetitivos de atitudes negativas (conscientes ou inconscientes), de forma a prejudicar o seu desempenho no trabalho. Na maioria das vezes, a pessoa simplesmente age de forma involuntária e não se dá conta dessa tendência autodestrutiva.

Conheça cada um de nós lendo nosso perfil individual clicando em psicólogo. Você poderá também ver os horários disponíveis e agendar sua consulta ou ainda solicitar que a nossa secretária ligue para você.

Muitos indivíduos acometidos por ela culpam a si mesmo pelas falhas, o que aumenta o problema. Por este motivo, ela tende a aumentar com o passar do tempo.

Mas por que ocorre a autossabotagem no trabalho? Os psicólogos dizem que seus motivos mais aparentes vão desde problemas emocionais e psicológicos, como sinais de depressão, estresse e ansiedade, traumas de infância entre outros.

Consequências e riscos da autossabotagem no trabalho

Entre as diversas consequências e efeitos negativos que a autossabotagem no trabalho proporciona, alguns riscos são muito evidentes

Mudanças constantes de empregos: o pula-pula de emprego geralmente é caracterizado pela culpa em alguma pessoa hierarquicamente superior, como chefe, patrão e gerente.

Estímulo de explosões de raiva constante: a pessoa torna-se, com o passar do tempo, cada vez mais intolerante consigo mesma e com os outros.

Tristeza: nada está bom e tudo ao redor é insuportável para quem se autossabota. E isso faz com que sentimentos de tristeza, ressentimento e sentimentos de depressão e desânimo sejam mais frequentes.

Procrastinação: muitas vezes confundida com preguiça, a procrastinação é um dos problemas que mais prejudica que pratica autossabotagem. E isso acaba tendo efeito “bola de neve”, pois o acúmulo de atividades gera mais procrastinação.

>>> Leia também: Veja como a baixa autoestima prejudica o trabalho e a vida pessoal .

O que devemos fazer para evitar a autossabotagem no trabalho?

As repetições autodestrutivas vão se acumulando com o passar do tempo. E com isso acabam se se sedimentando no inconsciente. Por isso o acompanhamento de um psicólogo é essencial para o tratamento.

Há uma linha tênue entre o momento em que a pessoa distingue ou não se ela é capaz e se autocontrolar. Desta forma, saber como ocorre o padrão de autossabotagem é muito importante.

Criar as condições saudáveis de rotina e harmonizar seu interior com os aspectos externos e do trabalho são passos essenciais para elimina a autossabotagem. Para conquistar esse padrão de comportamento ideal, siga as seguintes atitudes.

1. Tenha autoconhecimento

Combater os problemas internos requer se conhecer. Por isto, passe a se observar como se alguém o estivesse analisando. Faça anotações, entenda seus padrões, analise cada detalhe. Veja e indique os pontos positivos e negativos, se há um melhoramento ou não.

2. Faça o seu trabalho

Voltar ao ponto zero, às vezes, é muito importante. Comece de novo, de forma tranquila e serena e focada nas suas tarefas. O fato de não poder dar uma boa impressão ou não estar condizente com determinadas capacidades, gera níveis de ansiedade. Mas lembre-se, você está recomeçando, então é natural que no início você vá em um ritmo mais lento.

3. Cuide dos horários

Isto é muito importante. Programe-se. Na noite anterior, realize todos os procedimentos de rotina para que você não se atrase. Ao acordar, tente visualizar o seu dia de trabalho. Esta sistematização evita imprevistos e também que sentimentos de procrastinação o dominem.

4. Tenha clareza na comunicação

Se algo está errado na sua conduta ou na atitude de algum superior em relação a você, converse. Não deixe que a carga de funções e pensamentos negativos exerça sobre você tensões emocionais e psicológicas.

5. Você está satisfeito com sua profissão?

Se você não encontrou o trabalho ou emprego ideal, busque uma saída, não piore a situação atual. Veja por outro ângulo as oportunidades. Você pode começar novamente, buscar novos cursos e uma profissão que lhe traga satisfação.

Gostou deste texto? Então você pode se interessar por esse aqui também: Qual é o seu tipo de carreira?

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.